Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Fim do incentivo fiscal motiva corrida ao abate de automóveis

O número de automóveis mais velhos entregues para abate deverá atingir um recorde em Dezembro.

Lusa 19 de Dezembro de 2010 às 20:31
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
O número de automóveis mais velhos entregues para abate deverá atingir um recorde em Dezembro, última oportunidade dos proprietários para beneficiarem do incentivo fiscal ao abate, admite a entidade responsável. Já em 2011, a quebra deverá ser "substancial".

Até final de Novembro a Valorcar, entidade responsável pela organização de uma rede de 70 centros de abate de veículos em final de vida, tinha recolhido 67 500 automóveis, um comportamento na mesma linha daquele registado em igual período de 2009. Novembro foi o melhor mês do ano, com 9350 veículos recebidos.

"O número de veículos abatidos este ano é muito semelhante ao que se verificou em 2009. No ano passado abatemos 82 mil veículos e este ano pensamos que teremos um número muito semelhante ou talvez um bocadinho aquém", disse hoje à agência Lusa o director-geral da Valorcar, Ricardo Furtado.

O programa do incentivo fiscal à destruição de automóveis ligeiros em fim de vida foi criado em 2000 e possibilita uma redução do Imposto sobre Veículos (ISV) na compra de um veículo novo cujo nível de dióxido de carbono não ultrapasse os 130 gramas por quilómetro e se for entregue um carro com determinados requisitos, como ter mais de 10 anos.

Os números provisórios "apontam para que venhamos a ter o melhor mês de sempre em Dezembro. Temos vindo a assistir a uma grande afluência aos centros de abate de pessoas que querem beneficiar do programa", avançou Ricardo Furtado.

Já o próximo ano deverá trazer uma nova realidade, pois, com o final do programa de incentivo ao abate, é esperada "uma quebra substancial no número de veículos em fim de vida entregues", como reconhece o responsável.

O programa tem representado cerca de 30% do total de veículos entregues para abate, acrescentou.

No centro de abate é entregue o carro antigo, mas também são enviados documentos para o Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres (IMTT) para que seja possível o cancelamento da matrícula e do registo.

No entanto, não é só na parte administrativa que há alguma vantagem em deixar o carro velho nos centros de abate. O ambiente também é beneficiado.

Ricardo Furtado explicou que o carro entregue é desmantelado nos seus vários componentes, como pneus, vidros, para-choques, catalizadores, óleos ou baterias e enviados para empresas de reciclagem. Pelo menos 85 por cento do veículo (em peso) é valorizado.

"Do ponto de vista do tratamento dos vários materiais e da reciclagem, Portugal é perfeitamente auto-suficiente", garantiu o director-geral da Valorcar, embora refira uma "pequena parte" exportada, mas por razões comerciais.

Ver comentários
Saber mais abate automóvel
Outras Notícias