Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Finanças diz investimento melhora mas consumo permanece fraco

O investimento manteve em Janeiro a tendência de crescimento registada nos meses anteriores, mas o indicador do consumo privado continuou fraco, afirma a Direcção-Geral de Estudos e Previsão (DGEP), do Ministério das Finanças, no seu relatório mensal de c

Ruben Bicho rbicho@mediafin.pt 25 de Fevereiro de 2004 às 17:18
  • Partilhar artigo
  • ...

O investimento manteve em Janeiro a tendência de crescimento registada nos meses anteriores, mas o indicador do consumo privado continuou fraco, afirma a Direcção-Geral de Estudos e Previsão (DGEP), do Ministério das Finanças, no seu relatório mensal de conjuntura.

A DGEP considera que os resultados dos inquéritos de conjuntura realizados em Janeiro apontam para «a continuação da melhoria da situação económica» na Zona Euro, e afirma que as expectativas dos agentes económicos se apresentam «positivas».

Com base nos indicadores coincidentes, a DGEP diz que o investimento está a seguir a tendência de recuperação iniciada em 2003, enquanto o consumo privado se mantém fraco.

«O indicador coincidente da FBCF manteve a tendência da recuperação iniciada na 2ª metade de 2003, em resultado de um comportamento mais favorável de todas as suas variáveis» lê-se no relatório da DGEP.

Outros indicadores em que a DGEP se apoia para considerar que o investimento está a melhorar são a variação homóloga positiva -1,1% no quarto trimestre – das licenças de construção, o aumento do índice do volume de negócios de bens e investimento e a diminuição da importação de bens de equipamento.

No que toca ao consumo privado, verificou-se em Janeiro «uma ligeira inflexão, interrompendo a tendência positiva iniciada no segundo trimestre de 2003», diz a mesma fonte. O indicador de confiança manteve-se estável em Janeiro, mas houve uma deterioração do índice de volume de negócios no comércio a retalho, uma quebra nas vendas de automóveis ligeiros de passageiros e uma diminuição das importações de bens de consumo.

Ver comentários
Outras Notícias