Impostos Fisco lança nova aplicação para consultar e pagar impostos

Fisco lança nova aplicação para consultar e pagar impostos

A nova aplicação da Autoridade Tributária lança alertas aos contribuintes e facilita o pagamento dos impostos em falta, seja através da disponibilização das referências de pagamento, seja através do MBway ou de QRCode.
Fisco lança nova aplicação para consultar e pagar impostos
Cátia Barbosa/Negócios
Elisabete Miranda 01 de março de 2018 às 19:38

A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) dispõe de uma nova aplicação móvel que permite aos contribuintes acompanhar a cada momento a sua situação fiscal e fazer o pagamento dos impostos em falta. A aplicação pode ser obtida na APP Store e no Google Play, para sistemas IOS e Android, sob o nome "situação fiscal".

A entrada na aplicação faz-se mediante o preenchimento do número de identificação fiscal e da senha do contribuinte, tal como no Portal das Finanças, e apresenta quatro áreas: uma cadastral, onde constam elementos básicos de identificação do contribuinte, outra que o encaminha directamente para a página electrónica do Fisco e depois mais duas, relativas a reembolsos e pagamentos – esta última com mais valências.

Na área de reembolsos, é apresentada ao contribuinte uma lista dos reembolsos emitidos, pagos, cancelados ou reactivados pelo Fisco, e respectivos montantes.

 

Na área dos pagamentos, a informação surge dividida em dois separadores: uma para os pagamentos ainda dentro dos prazos, em fase de cobrança voluntária; e uma outra para os pagamentos em falta, na chamada fase de cobrança coerciva.

 

Em qualquer um dos casos, são apresentadas três opções ao contribuinte, consoante o meio que lhe seja mais confortável: as referências de pagamento no multibanco; informação para pagamento através de MB WAY (o que exige a adesão à aplicação móvel da SIBS); e informação para pagamento através de QRCode, para utilização nos locais de pagamento presenciais que estejam equipados com o leitor respectivo.

 

Tanto no caso em que haja dinheiro a receber como nas situações em que haja dinheiro em falta, o contribuinte é avisado através de notificações.

 

As soluções de pagamento são análogas às entretanto facultadas na página pessoal do contribuinte no Portal das Finanças, onde é também possível consultar em detalhe os processos em dívida.

Sob o lema "pagar os seus impostos de forma cómoda, simples e segura", estas novas valências disponibilizadas pela Autoridade Tributária pretendem contribuir para a redução dos níveis de incumprimento fiscal por parte dos contribuintes e para um encaixe mais atempado da receita fiscal.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Anónimo 02.03.2018

Sejamos sérios. Queremos números de excedentários despedidos. Hoje em dia, reformas destas não se fazem sem substituir factor trabalho por factor capital e sem reduzir a quantidade líquida de factor trabalho alocado e aumentar a quantidade líquida de factor capital alocado. É dos livros, é dos mercados, é da vida. Nos territórios mais ricos e desenvolvidos estas coisas andam sempre aliadas a reestruturações profundas com recurso a despedimentos. Seja numa universidade escandinava, numa multinacional alemã, numa companhia das águas irlandesa, numa autarquia escocesa, num ministério inglês, numa empresa ferroviária suíça ou numa repartição de finanças australiana. É aí que se poupa e cria valor que irá extravasar por toda a economia e sociedade elevando-as para outro patamar de forma sustentável e impedindo a sua queda para o precipício da iniquidade e insustentabilidade a que chamam crise, empobrecimento e falta de soberania.

comentários mais recentes
Anónimo 02.03.2018

Sejamos sérios. Queremos números de excedentários despedidos. Hoje em dia, reformas destas não se fazem sem substituir factor trabalho por factor capital e sem reduzir a quantidade líquida de factor trabalho alocado e aumentar a quantidade líquida de factor capital alocado. É dos livros, é dos mercados, é da vida. Nos territórios mais ricos e desenvolvidos estas coisas andam sempre aliadas a reestruturações profundas com recurso a despedimentos. Seja numa universidade escandinava, numa multinacional alemã, numa companhia das águas irlandesa, numa autarquia escocesa, num ministério inglês, numa empresa ferroviária suíça ou numa repartição de finanças australiana. É aí que se poupa e cria valor que irá extravasar por toda a economia e sociedade elevando-as para outro patamar de forma sustentável e impedindo a sua queda para o precipício da iniquidade e insustentabilidade a que chamam crise, empobrecimento e falta de soberania.

Anónimo 02.03.2018

Reformas viradas para as reais condições de mercado que se fazem nas regiões mais desenvolvidas do mundo e a importância das mesmas para a prosperidade e o bem-estar das populações:
"HMRC staff braced for thousands of job cuts as 137 tax offices to close" https://www.theguardian.com/politics/2015/nov/12/hmrc-staff-braced-for-thousands-of-job-cuts-if-tax-offices-close
"IRS will cut 7,000 jobs because the majority of people are filing their tax returns online" http://www.dailymail.co.uk/news/article-3811646/IRS-cutting-7-000-jobs-vast-majority-people-file-tax-returns-online-meaning-fewer-people-needed-process-paper-forms.html
"Inland Revenue to cut 1500 jobs between 2018 and 2021" www.stuff.co.nz/business/industries/78231571/inland-revenue-to-cut-1500-jobs-between-2018-and-2021
"Australian Taxation Office axes 4400 jobs in 19 months" http://www.canberratimes.com.au/national/public-service/australian-taxation-office-axes-4400-jobs-in-19-months-20150409-1mhhgq.html

pub