Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

FMI corta previsão de crescimento dos Estados Unidos

A instituição liderada por Christine Lagarde reduziu a perspectiva de crescimento da maior economia mundial para 2% em 2014 e acredita que a Fed deverá manter taxas de juro nulas por um período de tempo maior do que o esperado pelos investidores.

David Santiago dsantiago@negocios.pt 16 de Junho de 2014 às 16:06
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgou esta segunda-feira as perspectivas actualizadas de crescimento económico dos Estados Unidos em 2014. A instituição financeira sediada em Washington cortou a previsão de expansão económica, em 2014, da maior economia mundial de 2,8% em Abril para 2% em Maio.

 

A organização chefiada por Christine Lagarde manteve a estimativa de um avanço económico de 3% em 2015 tendo alertado, porém, para o facto de a Reserva Federal norte-americana poder ser obrigada a manter as taxas de juro em 0% por mais tempo do que as expectativas dos investidores.

  

Um economista do FMI, citado pela Bloomberg, refere que se "verificou um enfraquecimento na economia dos Estados Unidos", que deverá registar uma expansão na casa dos 2% ao longo dos anos vindouros.

 

Esta previsão é inferior às estimativas do próprio fundo, que há um ano atrás que projectavam uma expansão económica de 2,3% para o biénio 2015-2016 e de 2,4% para o período 2017-2018.

 

Na semana passada também o Banco Mundial tinha revisto em baixa a previsão de crescimento económico para este ano da maior economia mundial de 2,8% para 2,1%.

 

O fundo revela ainda que "as políticas monetárias deverão suportar taxas de juro de 0% depois de meados de 2015, a data apontada como término pelos mercados".

 

As previsões do FMI surgem a dois dias do próximo encontro da Fed, no qual serão discutidas as políticas monetárias dos Estados Unidos. A instituição liderada por Lagarde aconselha a Reserva Federal e o Governo federal a fomentarem o aumento da inflação e a assumirem uma subida do salário mínimo. 

Ver comentários
Saber mais FMI Estados Unidos Washington Christine Lagarde Reserva Federal Banco Mundial Fed crescimento económico
Outras Notícias