Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

FMI elogia Espanha mas alerta para necessidade de "fortes esforços" no resgate à banca

O Fundo Monetário Internacional, que participa no programa de assistência financeira ao sector bancário espanhol como uma entidade financeira, considera que os prazos do resgate estão a ser cumpridos. Mas não deixa de assinalar os riscos que ainda permanecem. Bancos que não são viáveis devem ser liquidados o mais rápido possível.

Diogo Cavaleiro diogocavaleiro@negocios.pt 26 de Outubro de 2012 às 16:31
Espanha recebeu hoje, sexta-feira, palavras de elogio do Fundo Monetário Internacional (FMI) pela reforma do sector financeiro. Os prazos estão a ser cumpridos. Mas há pelo menos um em relação ao qual se tem de fazer um grande esforço. O da criação do “banco tóxico”.

“Todos os prazos estabelecidos no memorando de entendimento, acordados entre as autoridades espanholas e europeias, foram cumpridos. É importante manter esta postura à medida que se colocarem pela frente mais passos desafiantes”, escreve a entidade que aconselha o resgate à banca espanhola, num comunicado preliminar enviado às redacções.

O FMI participou na revisão ao programa de reforma do sector financeiro daquele país, que terminou hoje e cujo resultado final será publicado no início de Novembro. A entidade de Washington não faz, contudo, parte do resgate, sendo apenas um fiscalizador independente.

A Sociedade de Gestão de Activos, o banco que vai gerir a carteira imobiliária tóxica da banca, levanta algumas questões ao FMI. Apesar de os pontos principais estarem já definidos, “serão necessários fortes esforços para tornar a Sociedade de Gestão de Activos totalmente operacional até ao final de Novembro”, segundo aquele comunicado do fundo liderado por Christine Lagarde.

Bancos não viáveis devem ser liquidados

“É importante assegurar que as estruturas de incentivos sejam adequados, especialmente para a independência da administração da sociedade e para a gestão eficaz dos activos transferidos”, continuou o documento.

No relatório preliminar sobre a primeira revisão à reforma do sector financeiro espanhol, o FMI salienta ainda que a economia e os bancos deverão enfrentar períodos “adversos”, apesar da melhoria das condições dos mercados financeiros após o anúncio da compra de obrigações soberanas de países em dificuldades no mercado secundário por parte do Banco Central Europeu.

Da mesma forma, o fundo americano salienta que as necessidades de capital dos bancos que foram enunciadas “têm de ser rapidamente suprimidas” e os bancos que não são viáveis devem ser liquidados “tão cedo quanto seja possível”.

O Banco Central Europeu e a Comissão Europeia também divulgaram esta tarde um documento referente à conclusão da primeira revisão do programa de assistência financeira à banca espanhola, concluindo que o programa está a ser bem-sucedido, apesar de alertarem para os riscos que ainda permanecem.
Ver comentários
Saber mais Espanha banca espanhola FMI Fundo Monetário Internacional Christine Lagarde
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio