Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

França abandona objectivo de atingir equilíbrio orçamental em 2004

A França abandonou o objectivo de atingir um défice orçamental nulo em 2004, falhando a meta imposta pelo Pacto de Estabilidade e Crescimento da União Europeia, anuncio o novo Governo francês.

Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 13 de Maio de 2002 às 09:17
  • Partilhar artigo
  • ...
A França abandonou o objectivo de atingir um défice orçamental nulo em 2004, falhando a meta imposta pelo Pacto de Estabilidade e Crescimento da União Europeia, anuncio o novo Governo francês.

No Sábado o ministro do Orçamento Alain Lambret anunciou o abandono desta meta com que os países da Zona Euro estão comprometidos.

O Governo formado pelo presidente reeleito Jacques Chirac quer aumentar o investimento público e reduzir os impostos em 30 mil milhões de euros, assumindo que não poderá cumprir o objectivo do PEC de equilibrar as contas orçamentais em 2004.

Em 2001 o défice orçamental da França foi de 1,4% do produto interno bruto e segundo as previsões da Comissão Europeia deverá ascender a 1,9% do PIB este ano. França estima agora reequilibrar as contas em 2006.

Devido ao abrandamento da economia as contas públicas de diversos países da Zona Euro derraparam em 2001, prejudicadas pela descida das receitas fiscais.

No passado mês de Março os líderes europeus acordaram cumprir o PEC, que prevê a redução dos défices para valores próximos de zero no final de 2004.

Para atingir este objectivo o Governo português já anunciou aumento dos impostos e cortes na despesa pública, de modo a reequilibrar as contas. Este ano prevê um défice de 2,8% do PIB.

Este anúncio do Governo francês é um novo embaraço para a Comissão Europeia, que tem repreendido diversos países, como Portugal, Alemanha, França e Itália para tomarem medidas de rigor orçamental de modo a impedir derrapagens nos défices.

O porta voz do Comissário Europeu dos Assuntos Monetários já anunciou que espera que todos os países cumpram o que prometeram na última cimeira de Março em Barcelona. O não cumprimento do PEC pode levar à perda de fundos comunitários.

Outras Notícias