Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

França segue Londres e tributa bónus mais elevados no sector financeiro

O Governo francês tenciona tributar os bónus pagos no sector financeiro quando estes ultrapassem os 27 mil euros, depois de ontem o Reino Unido ter anunciado que também iria tributar em 50% esses bónus.

Ana Filipa Rego arego@negocios.pt 10 de Dezembro de 2009 às 11:10
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
O Governo francês tenciona tributar os bónus pagos no sector financeiro quando estes ultrapassem os 27 mil euros, depois de ontem o Reino Unido ter anunciado que também iria tributar em 50% esses bónus, avança o “Financial Times”.

O chanceler britânico do Tesouro anunciou ontem que o Governo vai tributar a 50% os bónus pagos no sector financeiro quando estes ultrapassem a fasquia de 25 mil libras (cerca de 27.600 euros). A medida será excepcionalmente aplicada aos prémios referentes a este ano e que serão pagos entre hoje e 5 de Abril de 2010.

Hoje, um responsável do Governo de França explicou ao “Financial Times” que já têm considerado impor essa taxa há algum tempo, mas detiveram-se de o fazer já que isso poderia ameaçar a competitividade de Paris como centro financeiro.

No entanto, “não há obstáculos para o fazermos agora já que foi feito em Londres”, acrescentou.

Sarkozy anunciou hoje num artigo conjunto com Gordon Brown a intenção de seguir Londres.

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, e o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, uniram-se para alertar para a urgência de uma reforma global dos mercados financeiros. Num texto que vai ser publicado no “Wall Street Journal”, os dois responsáveis falam a uma só voz sobre a necessidade de um acordo global para os mercados financeiros e consideram que uma política de impostos única para os bónus da banca deve ser “considerada uma prioridade”.

Segundo o “Financial Times”, a decisão de seguir o Reino Unido parece ter apanhado o próprio ministro das Finanças de surpresa que, ao que consta, não planeava impor imediatamente uma taxa semelhante.

A decisão do Governo britânico terá precipitado a mesma da parte da França.

Ver comentários
Outras Notícias