Função Pública Funcionários públicos já fizeram 22 queixas de assédio

Funcionários públicos já fizeram 22 queixas de assédio

Os dados foram revelados pela secretária de Estado da Administração Pública. Há 22 participações, poucos meses depois de ter sido criado um endereço electrónico para o efeito.
Funcionários públicos já fizeram 22 queixas de assédio
Os dados foram revelados no Parlamento pela secretária de Estado da Administração Pública, Fátima Fonseca.
Catarina Almeida Pereira 14 de março de 2018 às 13:31

Em poucos meses os funcionários públicos apresentaram "22 participações por prática de assédio" através do endereço de e-mail que foi criado para o efeito.

Os dados foram divulgados no Parlamento pela secretária de Estado da Administração Pública, Fátima Fonseca (na foto), que não explicou se em causa estão situações de assédio sexual ou moral.

Em causa está aplicação da nova lei sobre o assédio, que reforçou as sanções e a protecção de denunciantes e testemunhas, estabelecendo a criação de um endereço electrónico dirigido aos funcionários públicos.

As novas regras entraram em vigor em Outubro, e em Dezembro, confrontado com as questões dos deputados, que denunciavam atrasos no processo, o Governo respondeu ao Negócios que o endereço já estava criado e divulgado na página da Inspecção-Geral de Finanças: ltfp.art4@igf.pt

Na altura, optou por não revelar dados sobre o assunto.

Para o sector privado, a Autoridade para as Condições do Trabalho tem um formulário específico que pode ser consultado neste link: http://www.act.gov.pt/(pt-PT)/Itens/QueixasDenuncias/Paginas/default.aspx 

Na mesma altura, questionada sobre o número de casos que foram alvo de sanção, fonte oficial da Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) assumia que nem sempre é fácil a recolha de provas nestes casos.

 




A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Anónimo 14.03.2018

Coitadinhos e coitadinhas. Só problemas. Merecem um bónus suplementar.

comentários mais recentes
Fpublico condenado a 48 anos trabalho/descontos 14.03.2018

Qual a categoria das madames? entraram por cunhas ou concurso?
EU SOFRO DE MAIS QUE ASSEDIO, SOU VITIMA DA DEMOCRACIA. FUI CONDENADO A 48 ANOS DE CHOLDRA APESAR DO MEU CONTRATO SER DO TEMPO DO FASCISMO

Anónimo 14.03.2018

Se calhar é uma boa forma encapotada de despedimento do estado!

Anónimo 14.03.2018

E qual foi o resultado das queixas? de certeza que nenhuma, continuam nos assédios a começar pelo mais alto cargo e aquele que recuse de assediar é apelidado de "maricas"
Conheci muitos que se gabavam de quantas tinham "comido" e toda a empresa fica a saber quem são as "put@s" porque esse é o pago

Camponio da beira 14.03.2018

Na falida Enron, as funcionarias arranjaram emprego depois na Playboy. Por cá, há serviços muito bem servidos de coelhinhas. Até doi a vista com os decotes e minisaias.Mas se só foram 22 quer dizer que a esmagadora maioria andam todas satisfeitas com os "seus" presidentes".

ver mais comentários
pub