Função Pública Governo avança com fim da reforma obrigatória aos 70 anos na Função Pública

Governo avança com fim da reforma obrigatória aos 70 anos na Função Pública

O Governo apresentou uma proposta aos sindicatos da Função Pública para acabar com a reforma obrigatória aos 70 anos. FESAP diz que "não faz sentido nenhum".
Governo avança com fim da reforma obrigatória aos 70 anos na Função Pública
Reuters
Susana Paula 07 de dezembro de 2018 às 20:17
O Governo propôs aos sindicatos da Administração Pública, na reunião desta sexta-feira, 7 de Dezembro, acabar com a reforma obrigatória aos 70 anos de idade, possibilitando que quem queira continuar a trabalhar o possa fazer.

O Ministério das Finanças tinha dito ao PÚBLICO em Agosto que estava "a ultimar o projecto de diploma" para equiparar o regime do sector público ao do sector privado e acabar com a reforma obrigatória por limite de idade.

Na primeira reunião com os sindicatos após a aprovação do Orçamento do Estado para 2019, as Finanças apresentaram uma proposta nesse sentido.

Assim, na Administração Pública, "quem pretender, pode continuar a trabalhar após completar os 70 anos de idade", refere o Ministério das Finanças num comunicado.

"Permitindo-se a opção do trabalhador por manter-se na vida profissional activa, estimula-se a transferência da experiência profissional e conhecimento entre trabalhadores de diferentes gerações", defende o Governo.

Para o secretário-geral da FESAP, José Abrãao, "trabalhar para além dos 70 anos não faz sentido absolutamente nenhum dadas as enormes carreiras contributivas que os trabalhadores já têm hoje".

Segundo o sindicalista, "podiam criar as condições para que outros trabalhadores pudessem entrar na Administração Pública e aceder às necessidades permanentes dos serviços".



pub