Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Governo não vai aceitar proposta de orçamento plurianual da UE, diz Costa

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou esta terça-feira que não vai aceitar a proposta de orçamento da União Europeia, mas recusou avançar para um veto, defendendo antes uma "postura construtiva" de não-cedência aos "quatro países forretas" que "defendem o subfinanciamento".

Lusa
Lusa 18 de Fevereiro de 2020 às 18:38
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...
"Não aceitaremos esta proposta", disse o primeiro-ministro no parlamento, no debate preparatório do Conselho Europeu de quinta-feira em Bruxelas.

António Costa referia-se à proposta apresentada na sexta-feira pelo presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, que estabelece um orçamento plurianual da UE para 2021-2027 de 1,074% do Rendimento Nacional Bruto da UE já sem o Reino Unido, equivalente a 1,09 mil milhões de euros.

De um lado da mesa, Portugal e uma maioria dos Estados-membros estão contra qualquer corte na política de coesão e na Política Agrícola comum (PAC).

Do outro, estão a Áustria, a Dinamarca, os Países Baixos e a Suécia, quatro dos chamados contribuintes líquidos, designados como "países frugais" porque recusam ir além de um envelope global de 1% do RNB, com os consequentes cortes naquelas políticas.

"O nosso debate não é ente países gastadores e frugais, frugais somos nós", disse o primeiro-ministro.

"Países que defendem o subfinanciamento, são países que não acreditam na UE e por isso não investem na UE. Ou se acreditam na UE e não investem o que é necessário, não são frugais, são forretas", disse.

O primeiro-ministro defendeu que Portugal "tem tido" e "vai continuar a ter uma postura construtiva", sem se deixar condicionar pelo tempo e sem ceder "ao veto de quatro países que não são frugais, são simplesmente forretas".
Ver comentários
Saber mais UE Conselho Europeu António Costa Bruxelas Portugal orçamento plurianual
Mais lidas
Outras Notícias