Economia Governo paga quase o dobro por meios aéreos com ajuste directo

Governo paga quase o dobro por meios aéreos com ajuste directo

Contratos de hélis por ajuste direto, em vez de concurso, são mais caros para os cofres públicos.
Governo paga quase o dobro por meios aéreos com ajuste directo
Reuters
Negócios 02 de junho de 2018 às 10:01
O Governo contratou a quatro empresas, por ajuste directo, 28 helicópteros ligeiros na semana passada para combater os fogos de 2018. São quatro contratos com quatro empresas por cerca de 11,5 milhões de euros, um valor acima dos 7,85 milhões de euros por ano no segundo concurso do Governo. 

De acordo com as contas do semanário Expresso, o mais recente investimento no dispositivo de meios aéreos foi um "negócio custoso para o erário público". Comparativamente ao segundo concurso, cujo valor era de 15,7 milhões para 2018 e 2019 - o que, por ano, se traduz em 7,85 milhões de euros - os meios aéreos de combate aos fogos vão custar mais 47% do que o previsto.

Ao contrário dos 7,85 milhões de euros previstos para 2018 no segundo concurso, o negócio por ajuste directo ascende a pouco mais de 11,5 milhões. 

O Governo justifica a operação, dizendo que quando a operação diz respeito apenas a um ano "é menos interessante em termos económicos para os operadores".




Marketing Automation certified by E-GOI