Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Governo diz execução do POE fica abaixo do previsto

A execução do Programa Operacional de Economia (POE) deverá atingir os 765 milhões de euros este ano, 6,7% abaixo do previsto pelo Governo, afirmou hoje Carlos Tavares, ministro da Economia, no 1º Fórum de Indústria.

Ana Torres Pereira atp@negocios.pt 12 de Dezembro de 2002 às 20:04
  • Partilhar artigo
  • ...
A execução do Programa Operacional de Economia (POE) deverá atingir os 765 milhões de euros este ano, 6,7% abaixo do previsto pelo Governo, afirmou hoje Carlos Tavares, ministro da Economia, no 1º Fórum de Indústria.

O Governo, que a 9 de Dezembro de 2002 já tinha executado 621 milhões de euros, prevê atingir os 765 milhões de euros até ao final do ano, menos 6,7% do que anteriormente previsto.

O montante que o Ministério da Economia previa ser executado até ao final do ano, corresponde a uma taxa de execução na ordem do 45%, contra os 10% que foram executados o ano passado.

«Estamos para além do mínimo requerido, corríamos o risco de perder fundos se não fosse executado» o mínimo, afirmou Carlos Tavares. Portugal tem uma meta mínima de 632 milhões de euros para executar, com o objectivo de não perder fundos comunitários.

Governo avança com novo modelo para o POE

Carlos Tavares, durante a sua exposição no 1º Fórum de Indústria organizado pelo «Diário Económico», afirmou que o Executivo irá avançar com «um novo POE», onde se irá premiar «o mérito e partilha de risco, o incentivo a projectos de maior valor acrescentado, critérios claros e objectivos e uma estrutura simples e compreensiva».

O novo POE irá «reger-se por três eixos: a dinamização do ambiente empresarial, a qualificação dos recursos humanos e o apoio à dinamização das empresas», reforçou o mesmo responsável.

No Orçamento de Estado para 2003, o POE verá o seu financiamento acrescido em cerca de 64%, face à estimativa de 2002, tornando-se o principal motor dos sistemas de incentivos ao investimento público e privado.

Outras Notícias