Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Governo pede mais responsabildiade aos bancos na concessão de crédito

A Direcção-Geral do Consumidor enviou uma carta ao Banco de Portugal procurando saber o horário de acesso das empresas de crédito à base de dados desta instituição (Central de Responsabilidades de Crédito do Banco de Portugal). Isto porque o instituto do

Carla Pedro cpedro@negocios.pt 04 de Dezembro de 2007 às 16:57
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A Direcção-Geral do Consumidor enviou uma carta ao Banco de Portugal procurando saber o horário de acesso das empresas de crédito à base de dados desta instituição (Central de Responsabilidades de Crédito do Banco de Portugal).Isto porque o instituto do Ministério da Economia refere que os bancos estão a conceder crédito sem sequer consultar o registo do cliente.

A Central de Responsabilidades de Crédito é a ferramenta mais completa e fiável que permite a todos os operadores a avaliação do risco na concessão de crédito. Porém, segundo informação dada à DG Consumidor, o acesso a tal instrumento é condicionado a horários de consulta limitados somente nos dias úteis, nos normais horários de expediente. "Tal é manifestamente desadequado à realidade do mercado do crédito ao consumo que, segundo os dados disponíveis, se efectua nos períodos pós laboral e fins-de-semana", afirma aquela instituição.

A DG Consumidor ficou ainda mais preocupada este ano com o endividamento das famílias portuguesas, o que a leva a sustentar que "uma maior avaliação do risco inerente à concessão de crédito, mais presente, acessível e facilitada, contribuiria certamente para a atribuição de crédito responsável e para a consequente prevenção dos fenómenos de endividamento excessivo e sobreendividamento".

Neste sentido, foi sugerida a disponibilização do acesso ao sistema em regime contínuo, vinte e quatro horas por dia, sete dias por semana, informa a mesma instituição.

O Director-geral do Consumidor, José Manuel Ribeiro, enviou uma carta ao governador do Banco de Portugal, Vítor Constâncio, a dar conta das suas preocupações e pedindo esclarecimentos sobre "os motivos impeditivos de um horário de consulta contínuo" e sobre eventuais acções em curso nesse sentido.

<
Ver comentários
Mais lidas
Outras Notícias