Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Governo português e Comissão Europeia mostram preocupação com a situação na Guiné-Bissau

A demissão do governo guineense por parte do presidente daquele país motivou demonstrações de preocupação por parte do Governo português e da Comissão Europeia. Marques Guedes considera tratar-se de uma "crise política grave".

David Santiago dsantiago@negocios.pt 13 de Agosto de 2015 às 16:09
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

A crise política na Guiné-Bissau está a causar preocupação. O Governo português e a Comissão Europeia já demonstraram preocupação face aos últimos acontecimentos que resultaram na demissão do governo daquele país decretada pelo presidente José Mário Vaz.

 

Em comunicado enviado às redacções, o Ministério dos Negócios Estrangeiros regista que o Governo "lamenta profundamente o agravamento da situação de crise institucional na Guiné-Bissau. E acrescenta um "apelo a todos os actores políticos guineenses para que sejam rapidamente ultrapassadas as divergências existentes através do diálogo".

 

Nesse sentido, o MNE apela ao respeito face aos resultados eleitorais de Abril do ano passado, cuja governação assegurou resultados "designadamente no sentido da reforma do sector da segurança, no combate à impunidade e na salvaguarda dos direitos de todos os cidadãos guineenses".

 

Esta manhã, também Marques Guedes, ministro da Presidência e dos Assuntos Parlamentares, na habitual conferência de imprensa que se segue ao Conselho de Ministros, fazia referência à "crise política grave" que se faz sentir na Guiné-Bissau. Confirmando que "Portugal acompanha com enorme preocupação" a situação naquele país, Marques Guedes sublinhou a "solidariedade total" de Portugal, que garante continuará "sempre do lado da solução".

 

Entretanto, também a Comissão Europeia reagiu à queda do governo liderado por Domingos Simões Pereira. No entender de Bruxelas, "os mais recentes acontecimentos políticos na Guiné-Bissau podem pôr em risco a dinâmica positiva da reconstrução e da consolidação da democracia observadas" no país.

 

Na linha daquilo que foi sustentado pelo Governo português, também a Comissão realçou o impacto positivo decorrente das "eleições pacíficas e credíveis" que em 2014 colocaram o país no "caminho para a renovação do desenvolvimento económico e social". Por fim, a instituição europeia presidida por Jean-Claude Juncker garante que a União Europeia irá seguir "de perto os próximos desenvolvimentos políticos".

Ver comentários
Saber mais Guiné-Bissau Governo Comissão Europeia José Mário Vaz Marques Guedes Conselho de Ministros Domingos Simões Pereira União Europeia
Outras Notícias