Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Grécia prolonga prazo para recompra de dívida

A Grécia decidiu estender o prazo para a recompra de títulos de dívida pública. O leilão, que deveria ter sido fechado na sexta-feira, vai prolongar-se até ao meio-dia de amanhã, hora de Londres (igual a Lisboa), anunciou a agência que gere a dívida pública do país no seu site.

Eva Gaspar egaspar@negocios.pt 10 de Dezembro de 2012 às 10:54
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

Num curto comunicado, citado pela agência Bloomberg, a agência precisa que os detentores dos títulos cuja recompra já foi adjudicada não podem revogar ou modificar a sua participação.

A Grécia estará muito perto de atingir a sua meta na recompra de obrigações soberanas. Segundo adiantou ontem uma fonte do Ministério grego das Finanças, o valor da recompra está próximo de 30 mil milhões de euros. A transacção correu "muito bem", afirmou ontem o primeiro-ministro Antonis Samaras, após um encontro, em Munique, com os líderes do Governo da Estado federado da Baviera.

De acordo com a imprensa grega, até ao fim da tarde de sexta-feira, os investidores ofereceram-se para revender à Grécia 27 mil milhões de euros de obrigações. Os bancos gregos enviaram ofertas em torno de 10 mil milhões, enquanto os investidores estrangeiros, incluindo os hedge funds, ofereceram até 16 mil milhões, segundo o jornal "Kathimerini".

Grécia está a usar um empréstimo adicional de 10 mil milhões de euros do fundo europeu de resgate para recomprar de dívida que está a ser transaccionada no mercado com forte desconto. O preço oferecido, nos títulos que têm uma maturidade entre 2023 e 2042, deverá rondar 34,1% do valor nominal. A agência que gere a dívida pública anunciou hoje que, em função dos prazos, oferecerá aos credores interessados na revenda valores máximos que variarão entre 32,2% e 40,1% do valor facial das obrigações.

Esta operação faz parte do pacote de medidas que foram decididas na última reunião de ministros das Finanças da Zona Euro com vista a tentar repor a dívida pública grega numa rota de sustentabilidade. Esta é uma condição que o Fundo Monetário Internacional (FMI) diz ser fundamental para se manter envolvido no empréstimo à Grécia. Assumindo que todos os elementos do novo pacote são postos em marcha,  a dívida pública grega atingirá 124% do PIB em 2020, após 190% em 2014. 

Se o leilão não corresponder às expectativas, cairá por terra este plano de sustentabilidade e a Grécia poderá ter de ficar ainda mais tempo à espera da próxima fatia do empréstimo (mais de 30 mil milhões de euros).

Se executada nos moldes planeados, a operação de recompra de dívida representa um corte de 11 pontos percentuais na dívida pública grega, ou seja, mais de metade dos 20 pontos percentuais deste pacote.

A oferta de recompra destes títulos incide sobre obrigações no valor de 62 mil milhões de euros, que foram emitidas em Março depois da operação de troca de dívida que resultou no perdão de mais de metade da dívida pública grega em mãos de instituições e agentes privados.

 
Ver comentários
Saber mais Grécia dívida pública Antonis Samaras
Mais lidas
Outras Notícias