Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Horta Osório é uma das 30 figuras mais influentes da City de Londres

O nome do presidente executivo do Lloyds integra uma lista de 30 pessoas, as quais, segundo o Financial Times, irão determinar o futuro próximo da praça financeira londrina.

Luke MacGregor/Bloomberg
Negócios jng@negocios.pt 04 de Setembro de 2016 às 15:22
  • Assine já 1€/1 mês
  • 8
  • ...

António Horta Osório, presidente executivo do Lloyds, foi considerado uma das 30 pessoas mais influentes da City, a praça financeira londrina, numa lista publicada a 2 de Setembro pelo Financial Times.

O jornal inglês elaborou esta lista, tendo como ponto de partida o Brexit e a revolução que a saída do Reino Unido da União Europeia irá provocar na City. As 30 personalidades escolhidas, sublinha o Financial Times, "irão moldar o futuro" da praça financeira londrina no pós-União Europeia.

O português António Horta Osório é um dos cinco banqueiros que consta da lista do Financial Times, ao qual é atribuído o mérito de ter feito renascer o Lloyds depois da crise financeira que este atravessou.

Os outros quatro banqueiros referidos pelo jornal inglês são o argentino Daniel Pinto, líder do JP Morgan Europe, Simon Robey, co-fundador da sociedade de aconselhamento financeiro Robey Warshaw, Alison Rose, CEO do Royal Balk of Scotland, e Michel Sherwood, Co-CEO da Goldman Sachs International.

A lista de 30 nomes do Financial Times inclui, além de banqueiros, gestores de fundos, responsáveis por seguradoras e reguladores, entre outros. Segundo o jornal, que recorreu a um painel de especialistas para identificar estas três dezenas de homens e mulheres, que "poderão determinar o que será a City nas próximas três décadas".

Na lista dos Mais Poderosos de 2016 do Negócios, Horta Osório ficou na 11.ª posição. 


Porque é António Horta Osório o 11.º Mais Poderoso?
A carregar o vídeo ...
Porque é António Horta Osório o 11.º Mais Poderoso?
Ver comentários
Saber mais António Horta Osório Reino Unido City Londres Lloyds banca Financial Times
Outras Notícias