Zona Euro Ideia para criar ministro das Finanças da UE não gera consenso no Eurogrupo

Ideia para criar ministro das Finanças da UE não gera consenso no Eurogrupo

O presidente do Eurogrupo, Mário Centeno, e o vice-presidente da Comissão Europeia com a tutela do euro, Valdis Dombrovskis, não estão em sintonia quanto à ideia de ser criado o cargo de ministro das Finanças da União Europeia.
Ideia para criar ministro das Finanças da UE não gera consenso no Eurogrupo
Mário Cruz/Lusa
David Santiago 01 de março de 2018 às 21:30

Em Lisboa para uma conversa sobre o aprofundamento da união económica e monetária (UEM), Centeno não se mostrou muito favorável quanto à proposta da Comissão que pretende fundir a liderança do Eurogrupo com a vice-presidência da instituição liderada por Jean-Claude Juncker responsável pela área financeira.

 

"A discussão centra-se mais na substância do que na forma. Temos diante de nós num calendário difícil, porque curto, para fazer propostas, até Junho, que permitam avançar em todos estes domínios", declarou o também ministro português das Finanças.

 

"A experiência de lidar com ministros das Finanças mostra que a discussão vai ser um pouco mais difícil porque os ministros das Finanças não são pessoas que discutam estes temas com muita facilidade", reconheceu ainda Mário Centeno para depois assegurar que a "figura do ministro das Finanças europeu não tem merecido muito tempo à volta da mesa" do Eurogrupo.

 

Ainda assim, Centeno não coloca de parte vir a tutelar as Finanças europeias: "não é uma questão que esteja no meu futuro imediato. As questões dentro do Eurogrupo são muito vivas e muito profundas".

 

Já Dombrovskis reconhece que essa proposta da Comissão não é para o curto prazo nem prioritária. No entanto, dá o exemplo da italiana Federica Mogherini, que é a Alta Representante da União para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança e, ao mesmo tempo, é também vice-presidente da Comissão.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
pub