18 de junho de 2017 às 11:15
30 vítimas dentro dos automóveis

 

"Infelizmente o número de mortos aumentou para 57, o que mexe um pouco com todos nós", afirmou  o secretário de Estado da Administração Interna, no balanço do incêndio florestal feito às 10:00, junto ao posto de comando.

Visivelmente emocionado, Jorge Gomes apontou os locais em que foram encontradas as vítimas mortais, na Estrada Nacional 236.1, que faz a ligação ao Itinerário Complementar (IC) 8.

"Foram encontradas 30 pessoas em viaturas e 17 fora das viaturas ou nas margens da estrada e em ambiente rural foram encontradas 10 vítimas mortais", disse.

O governante explicou ainda que o fogo se mantém com quatro frentes activas, duas "com grande violência", e indicou que no terreno estão cerca de 700 operacionais, apoiados por cerca de 250 viaturas.

Neste momento, na Santa Casa da Misericórdia de Pedrógão Grande está instalado um ponto de acolhimento e de informação onde estão elementos da Segurança Social que prestam "toda a ajuda, apoio e esclarecimentos possíveis".

O secretário de Estado da Administração Interna sublinhou ainda que não há agora nenhuma localidade em risco. O incêndio deflagrou ao início da tarde de sábado no concelho de Pedrógão Grande e alastrou-se aos concelhos vizinhos de Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera.

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou que o incêndio terá sido causado por trovoadas secas, salientando, no entanto, que "é prematuro tirar ilações" sobre o que aconteceu.