Economia INEM afina pontaria na localização dos acidentes

INEM afina pontaria na localização dos acidentes

Actualmente, o INEM já faz a localização geográfica das chamadas que recebe por telemóvel, mas a precisão varia entre “alguns metros” em áreas urbanas e 10 a 30 quilómetros em áreas rurais. Até final do ano, a precisão desta localização vai aumentar, garante o Governo.
INEM afina pontaria na localização dos acidentes
Bruno Simão/Negócios
Bruno Simões 17 de abril de 2017 às 21:59

O actual sistema de geo-referenciação do serviço de emergência 112 guia-se pela informação das antenas de telecomunicações. Isso leva a que o sistema Cell ID tenha uma precisão que varia entre apenas alguns metros em meio urbano e até 30 quilómetros em meios rurais ou aquáticos, o que impossibilita a localização precisa de quem liga através de telemóvel. De acordo com o Ministério da Administração Interna, a situação vai ser corrigida até final do ano.

 

Em resposta a perguntas de deputados do PCP, o Ministério da Administração Interna (MAI) explica que as chamadas feitas por telefone fixo permitem uma localização com grande detalhe, uma vez que é apresentada a morada de quem está a ligar. Por telemóvel, o processo de localização é complexo, sendo calculada a localização da antena de telecomunicações activada pela chamada e o tamanho da respectiva célula. Quanto maior a célula, maior a dificuldade de identificar a localização de quem liga.

 

Actualmente, o MAI está a "desenvolver uma actualização tecnológica e operacional da arquitectura do serviço 112". Até ao fim de Junho, os pontos de atendimento de segurança pública (que recebem as chamadas do 112) distritais da região Norte vão ser migrados para o novo Centro Operacional do Norte, que estará localizado no Porto e vai concentrar as chamadas. Adicionalmente, os pontos de atendimento de Lisboa e Setúbal vão ser transferidos para o Centro Operacional do Sul, localizado desde 2009 no Tagus Park, em Oeiras.

 

Estes dois centros vão passar a estar "apetrechados com nova tecnologia" que vai permitir uma "maior precisão" a localizar quem liga através de telemóvel. Estão a ser implementadas as tecnologias "eCall", que vai permitir identificar "com grande precisão" o local de ocorrência de acidentes automóveis graves. Está também a ser instalada a "App 112", para cidadãos surdos, que vai permitir localizar "com grande precisão" os cidadãos com deficiência auditiva que liguem para o 112 através da referida aplicação móvel.

 

Mais tarde, mas ainda em 2017, o MAI prevê implementar a tecnologia "Advanced Mobile Location", que tira partido dos sistemas GPS dos telemóveis para permitir uma localização ainda mais precisa. Inicialmente, esta tecnologia vai estar apenas disponível para quem tiver um smartphone com sistema operativo Android, explica o MAI. Mais tarde, ela poderá ser disponibilizada para quem utiliza telefones com sistemas iOS (iPhone) ou Windows Mobile.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI