Conjuntura Inflação em Portugal é a terceira mais elevada da Zona Euro

Inflação em Portugal é a terceira mais elevada da Zona Euro

A inflação na Zona Euro subiu para 0,5% em Outubro, nível mais elevado desde Junho de 2014.
Inflação em Portugal é a terceira mais elevada da Zona Euro
Bloomberg
Nuno Carregueiro 17 de novembro de 2016 às 10:25

O Eurostat confirmou esta quinta-feira, 17 de Novembro, que a taxa de inflação na Zona Euro subiu em Outubro para 0,5%, tal como tinha sido anunciado na primeira estimativa revelada a 31 de Outubro.

 

Confirma-se assim que a subida dos preços atingiu no mês passado o nível mais elevado desde Junho de 2014, embora permaneça ainda longe da meta do Banco Central Europeu: colocar a inflação próxima dos 2%. Em Setembro a inflação situou-se nos 0,4% e em Outubro do ano passado estava em 0%.

 

Os dados revelados pelo Eurostat esta quinta-feira permitem fazer a comparação entre os países da União Europeia, sendo que Portugal destaca-se entre os países onde a inflação está a crescer de forma mais rápida.

 

O índice de preços no consumidor (IPC) em Portugal cresceu 1,1% em Outubro, contra o mesmo mês do ano passado, o que representa a terceira taxa de inflação harmonizada mais elevada da Zona Euro.

 

Só na Bélgica (1,9%) e na Áustria (1,4%) se verifica taxas de inflação superiores. De acordo como Eurostat, entre os 28 países da União Europeia, a inflação desceu em seis países, ficou estável num e aumentou em 21.

 

A impulsionar a inflação na Zona Euro esteve os preços dos restaurantes e cafés, rendas e tabaco. Em queda estiveram os vegetais, leite, queijo e ovos.

 

Para impulsionar a inflação, o BCE tem em vigor um programa de estímulos à economia, com baixas taxas de juro e compra de activos no mercado, como dívida pública e outras obrigações de empresas.

 

A actuação do BCE tem estado, aliás, na órbita dos mercados, já que se aguarda o momento em que o BCE fechará a torneira. Para já, as últimas indicações de Mario Draghi são lidas como tendo o BCE a intenção de manter os estímulos e o programa de compra de activos, já que o presidente do BCE deu indicações de que não cessará o programa de forma abrupta. Por isso, Mario Draghi admitiu que o programa poderia estender-se além de Março de 2017, conforme inicialmente planeado. O BCE está activo no mercado em compras de 80 mil milhões de euros mensais.

Taxas de inflação nos países da União Europeia, com valores em percentagem





pub

Marketing Automation certified by E-GOI