Europa Investimento dos EUA na União Europeia caiu a pique em 2017

Investimento dos EUA na União Europeia caiu a pique em 2017

Com Donald Trump enquanto presidente dos EUA, o investimento norte-americano na União Europeia reduziu-se mais de 80%, o que fez com que em 2017 o investimento vindo de fora para a UE tenha sido residual.
Investimento dos EUA na União Europeia caiu a pique em 2017
Michael Kappeler/Reuters
Tiago Varzim 13 de julho de 2018 às 10:20
"Desinvestimento massivo". É assim que o Eurostat apelida a redução de investimento norte-americano na União Europeia em 2017. O saldo foi negativo em 274,2 mil milhões de euros no ano passado, o que compara com um aumento de 56,4 mil milhões de euros em 2016. Os Estados Unidos acabaram por ser responsáveis por uma queda a pique no total do investimento estrangeiro realizado na UE. 

"Os resultados preliminares de 2017 realçam um massivo desinvestimento líquido das empresas dos EUA no mercado da UE", destaca o Eurostat esta sexta-feira, assinalando que esta foi a causa da queda superior a 80% da entrada de investimento na UE.A redução foi recíproca, ainda que em menor grau. "Os investidores directos da UE também reduziram as suas aquisições líquidas no mercado dos EUA, embora de forma menos acentuada", escreve o gabinete de estatísticas europeu, referindo que a queda foi de 67 mil milhões de euros, o que compara com os 274 mil milhões de euros a menos de investimento norte-americano.

No total, o investimento directo da União Europeia noutros países caiu 52,2%, passando de 250 mil milhões de euros em 2016 para 120 mil milhões de euros em 2017. Mas a queda foi muito mais intensa no investimento que entra na UE: "A entrada de investimento na UE foi insignificante, quase dez vezes inferior à do ano anterior", escreve o Eurostat, revelando a queda de 340 mil milhões de euros em 2016 para apenas 37 mil milhões de euros em 2017, menos 89,2%.

Com o constrangimento na relação de investimento com os EUA, a Suíça foi o principal investidor directo na UE no ano passado assim como foi o país que recebeu mais investimento com origem nos Estados-membros. Entraram 90 mil milhões de euros com origem suíça e saíram 60,7 mil milhões de euros da UE para território suíço.

Além da Suíça, o Japão e o Canadá foram os únicos países com um investimento líquido superior a 10 mil milhões de euros. Já Hong Kong absorveu mais de 10 mil milhões de euros de investidores europeus. O Eurostat nota ainda que o investimento da UE na Rússia foi reduzido em sete mil milhões de euros em 2017.




pub