União Europeia Irlanda põe de lado 1,25 mil milhões de euros para lidar com Brexit sem acordo

Irlanda põe de lado 1,25 mil milhões de euros para lidar com Brexit sem acordo

O Governo irlandês vai reservar 1,25 mil milhões de euros no Orçamento do Estado para 2020 para lidar com uma eventual saída sem acordo do Reino Unido da União Europeia.
Irlanda põe de lado 1,25 mil milhões de euros para lidar com Brexit sem acordo
Reuters
Tiago Varzim 08 de outubro de 2019 às 17:42
O Governo irlandês liderado por Leo Varadkar vai reservar cerca de 1,25 mil milhões de euros para lidar com os impactos negativos que um Brexit sem acordo possa vir a ter na economia irlandesa. O anúncio foi feito esta terça-feira, 8 de outubro, na apresentação do Orçamento do Estado para 2020 no Parlamento da Irlanda. 

Esta verba divide-se em três categorias: 650 milhões de euros para ajudar empresas, agricultores, pescadores e turismo; 400 milhões de euros para o regresso à escola e a formação para a reconversão de trabalhadores; 200 milhões de euros para os departamentos do Governo que lidam com o controlo das fronteiras nos portos e aeroportos. A ajuda especial acontecerá caso haja disrupções se o Reino Unido sair da União Europeia sem acordo e irá focar-se em empresas "vulneráveis mas viáveis".

Na apresentação do OE no Parlamento, o ministro das Finanças irlandês, Paschal Donohoe, disse que uma saída sem acordo representa um desafio "sem precedente" para a Irlanda, o que obriga a intervir de forma "sustentada e significativa" para ajudar a economia e o mercado de trabalho. "A nossa principal hipótese mudou agora para o cenário de não acordo", disse Donohoe no dia em que há relatos de que não haverá acordo entre Londres e os Estados-membros na cimeira europeia de 17 e 18 de outubro.

"Isto não significa que seja inevitável não haver um acordo, mas que nós estamos preparados se isso acontecer", disse o ministro das Finanças da Irlanda, país que mais vulnerável está perante a saída do Reino Unido dada a profundidade das relações comerciais. Há quem tema que a Irlanda possa entrar em recessão caso haja uma saída sem acordo e o Executivo prevê que sejam eliminados 55 mil postos de trabalho nesse cenário. 

O OE desenhado pelo Governo projeta que a economia irlandesa vá crescer 0,7% em 2020, o que representa uma desaceleração significativa face ao crescimento de 5,5% previsto para 2019. O maior nível de despesa por causa do Brexit e do investimento público levará o saldo orçamental de um excedente de 0,2% do PIB este ano para um défice de 0,6% no próximo ano. Caso não haja Brexit sem acordo, o compromisso será de manter um excedente orçamental.

Paschal Donohoe reconheceu que "os riscos associados com a ausência de acordo podem vir a ser mais severos do que o previsto", mas argumentou que a "gestão responsável das finanças públicas" torna possível dar resposta aos desafios do Brexit a partir de uma "posição de força". 

O impacto previsto decorre da disrupção que possa haver nas trocas comerciais entre os dois países, o que poderá aumentar os preços, diminuir a confiança dos consumidores e atrasar ou mesmo cancelar investimento. A queda da libra britânica face às principais moedas, incluindo o euro, também é algo que a Irlanda teme. 

No entanto, o Executivo irlandês continua a achar que o primeiro-ministro britânico Boris Johnson não terá alternativa a pedir um novo adiamento a Bruxelas.

Este é o último orçamento do atual Governo. No primeiro semestre do próximo ano os irlandeses vão às urnas para escolher o novo Executivo.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI