Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

João Talone diz soluções para IPE podem ser implementadas antes do final do ano

João Talone, mandatado pelo Governo para apresentar o modelo de extinção da Investimentos e Participações Empresariais (IPE), admitiu hoje que algumas das soluções propostas poderão ser implementadas antes do final do ano.

Bárbara Leite 19 de Agosto de 2002 às 19:17
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
João Talone, mandatado pelo Governo para apresentar o modelo de extinção da Investimentos e Participações Empresariais (IPE), admitiu hoje que algumas das soluções propostas poderão ser implementadas antes do final do ano.

«Não tem que se esperar pelo final do ano» para implementar soluções, referiu João Talone na sua tomada de posse no Ministério das Finanças.

O mesmo responsável salientou que «a minha prioridade é começar a trabalhar rapidamente», mas negou a intenção de «privatizar a correr».

Entre as participações que o Estado controla no âmbito do IPE encontram-se mais de 5% no capital da Brisa [BRISA] e 5% no capital da Optimus, operadora móvel da SonaeCom [SNC].

O actual ministro da Economia, Carlos Tavares, já admitiu alienar a posição accionista na concessionária de auto-estradas detida pelo IPE.

No modelo de extinção do IPE, que terá que ser apresentado até ao final do ano para estar completamente implementado até ao final do primeiro semestre de 2003, João Talone poderá optar por manter, reestruturar e alienar as participações que o Estado controla em empresas nacionais.

Carlos Tavares realçou hoje, no discurso na tomada de posse de João Talone, que a privatização de algumas participações do IPE terão que ser efectuadas «em condições financeiramente aceitáveis (...) e com salvaguarda de centros de decisão nacionais em sectores estratégicos, como é o caso das águas».

O IPE controla a totalidade do capital das Águas de Portugal (AdP).

Talone afirmou saber «que não há soluções ideais», acrescentando que admite que «quando está em causa a reestruturação de negócios, há sempre insegurança».

Neste âmbito, o mesmo responsável adiantou que pretende «acautelar» o pleno funcionamento das instituições do IPE.

Outras Notícias