Europa Johnson apresenta manifesto a pensar nos 10 anos pós-Brexit

Johnson apresenta manifesto a pensar nos 10 anos pós-Brexit

O líder conservador deu a conhecer um manifesto eleitoral minimalista, pensado para os 10 anos seguintes à concretização do Brexit, a grande prioridade enunciada pelo primeiro-ministro. A não subida de impostos e o reforço dos serviços públicos prioritários para os eleitores são as outras apostas de Johnson.
Johnson apresenta manifesto a pensar nos 10 anos pós-Brexit
Reuters
David Santiago 25 de novembro de 2019 às 11:16

O primeiro-ministro do Reino Unido apresentou, este domingo, o manifesto eleitoral com que o Partido Conservador vai concorrer às eleições antecipadas para 12 de dezembro.

Trata-se de um documento minimalista (tem 59 páginas, o que compara com as 88 do manifesto trabalhista) que centra a aposta dos "tories" nos 10 anos seguintes ao Brexit e que promete não aumentar impostos e reforçar o investimento nos serviços públicos mais relevantes para os eleitores britânicos.

O plano para a próxima década revelado por Boris Johnson é descrito pela imprensa britânico como cauteloso e pouco polémico, o que é consistente com a intenção do líder conservador de assegurar uma maioria absoluta nas eleições que se avizinham – as sondagens dão crescente força a esse cenário.  

Estabelecendo como grande prioridade assegurar a saída britânica da União Europeia até 31 de janeiro do próximo ano, com o líder conservador a anunciar que submeterá o acordo de saída alternativo negociado com a União Europeia a votação parlamentar antes do natal, Boris Johnson compromete-se negociar com Bruxelas um acordo comercial antes do final de 2020.

Já se sabia que o amplo corte de impostos prometido pelos conservadores tinha caído em detrimento de uma maior aposta nos serviços públicos considerados mais relevantes pelos eleitores. Mas agora ficou a conhecer-se em pormenor o plano "torie". Johnson compromete-se a não aumentar impostos (designadamente o IRS e o IVA) e contratar até 50 mil enfermeiros nos próximos cinco anos. As dificuldades que o sistema público de saúde do Reino Unido (NHS) atravessa têm sido um dos temas dominantes da campanha eleitoral em curso.

No que toca à redução da carga fiscal, o elemento mais relevante prende-se com a diminuição, para todos os trabalhadores, de 100 libras anuais na contribuição para a segurança social.

Johnson garante ainda que vai desenhar um novo sistema de imigração através do qual promete reduzir a aceitação de imigrantes com poucas qualificações.

Ao contrário do pouco polémico manifesto conservador, as propostas eleitorais dos trabalhistas de Jeremy Corbyn têm gerado bastante controvérsia, em grande medida devido ao abrangente plano de privatizações e aumento de impostos às empresas e famílias mais ricas.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI