Autarquias José Eduardo Martins: “Não vou ser candidato à Câmara de Lisboa”

José Eduardo Martins: “Não vou ser candidato à Câmara de Lisboa”

O coordenador do programa eleitoral do PSD para a câmara de Lisboa rejeita que vá ser candidato à autarquia da capital e diz que esse nunca foi o seu objectivo.
José Eduardo Martins: “Não vou ser candidato à Câmara de Lisboa”
Paulo Duarte
Bruno Simões 27 de setembro de 2016 às 19:56

O PSD anunciou esta tarde que José Eduardo Martins vai ser o coordenador do programa eleitoral do partido na corrida à câmara de Lisboa. Ao Negócios, o advogado afastou a possibilidade de ser o candidato à autarquia e garante que desde o início apenas lhe foi questionado se queria "colaborar" no processo. O programa eleitoral deverá ser apresentado no primeiro trimestre de 2017 e a sua elaboração vai ser aberta aos lisboetas, garante.

 

"Não vou ser candidato à Câmara de Lisboa, essa é uma não questão", assegura José Eduardo Martins em declarações ao Negócios. "O que o presidente da concelhia do PSD, Mauro Xavier, procurou aferir foi da minha disponibilidade para colaborar. E desde o início que lhe disse que [o meu envolvimento] deveria ser neste plano", assinalou.

 

O advogado, que é crítico da liderança de Passos Coelho, diz ter aceitado o convite porque "Lisboa é uma cidade a precisar de estratégia e está a ser varrida por obras de fachada". "Sinto-me desafiado e lisonjeado pelo convite" de Mauro Xavier, acrescentou. E diz que não é estranho o PSD definir o programa antes de ter um candidato. "O que é estranho é os partidos adoptarem os seus programas aos candidatos", assinala.

 

E em que é que vai consistir o programa eleitoral do PSD? Eduardo Martins não levanta a ponta do véu. "Não vou já antecipar essas coisas. Lisboa pode ambicionar muita coisa que ainda não tem", mas o programa só será apresentado no início de 2017. "Estamos a apontar mais para o fim do primeiro trimestre", ou seja, até final de Março. Mas isso também vai depender da evolução dos trabalhos, pelo que a apresentação pode ocorrer ainda mais cedo.

 

José Eduardo Martins define-se o seu novo cargo como "coordenador de um conjunto de pessoas que, em rede, vão apresentar algumas ideias" para a cidade e promete "abrir os trabalhos aos lisboetas". "Vamos dinamizar um conjunto de fóruns em Lisboa", afiança.

O PSD quer que Pedro Santana Lopes seja o candidato à câmara da capital, mas a ausência de resposta do provedor da Santa Casa da Misericórdia está a deixar o partido preocupado. Tanto que até já foi identificada a principal alternativa: Maria Luís Albuquerque.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI