Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Juros da dívida portuguesa agravam-se nos principais prazos

A derrota de Merkel nas eleições de Berlim e a desilusão entre os investidores face aos resultados da reunião do Ecofin está a penalizar o apetite pelo risco nos mercados. Dívida de Portugal arrastada pelo forte agravamento dos juros da dívida da Grécia.

Edgar Caetano edgarcaetano@negocios.pt 19 de Setembro de 2011 às 10:28
A rendibilidade implícita (“yield”) nas Obrigações do Tesouro português está a subir em todos os prazos, com mais pressão nos prazos mais curtos. A “yield” de referência no prazo a dois anos está a subir 64 pontos base para 15,95%, ao passo que os juros a 10 anos estão a agravar-se seis pontos base para 11,24%.

Esta é a primeira sessão completa desde que o investidores internacionais receberam a notícia do desvio encontrado pelo Banco de Portugal e pelo INE nas contas da Madeira. O comissário europeu, Olli Rehn, declarou que a notícia sobre o buraco nas contas da Madeira, que vai agravar o défice de Portugal, é “tudo menos bem-vinda”.

A dívida portuguesa está a ser arrastada pelo forte agravamento das “yields” da Grécia, que disparam mais de 340 pontos base no prazo a dois anos, para 58,6%.

O encontro dos ministros das Finanças da Europa na Polónia não trouxe quaisquer decisões sobre o impasse na Grécia. Está, no entanto, agendada para esta segunda-feira uma “conference call” com o ministro das Finanças da Grécia, Evangelos Venizelos, e representantes da troika.

Noutro plano, os sociais-democratas alemães do SPD venceram ontem as eleições regionais em Berlim, suplantando os democratas cristãos (CDU) da chanceler Angela Merkel, a perder popularidade e em dificuldades para manter a coesão no próprio Governo, devido à crise europeia.

Já a dívida da Irlanda está cada vez mais “descolada” dos restantes países “periféricos”, com as “yields” a aliviarem num dia em que os investidores estão a afastar-se dos activos mais arriscados, como as acções e a dívida dos países do Sul da Europa.

Também os juros de Itália e Espanha estão hoje a sofrer um agravamento.

Ver comentários
Saber mais Portugal juros dívida yields obrigações
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio