Angola Marcelo atira visita a Angola para depois de Outubro

Marcelo atira visita a Angola para depois de Outubro

Com agendas carregadas, o primeiro-ministro e o Presidente da República só deverão conseguir ir a Angola depois de Outubro. Chefe de Estado deve receber entre hoje e amanhã informação sobre cancelamento da transmissão da SIC pela operadora de Isabel dos Santos.
Marcelo atira visita a Angola para depois de Outubro
Bruno Simão
Marta Moitinho Oliveira 15 de março de 2017 às 12:55

O Presidente da República disse esta quarta-feira que a agenda do primeiro-ministro, bem como a sua, estão muito cheias até Setembro/Outubro, sinalizando assim que uma visita de Estado àquele país poderá acontecer apenas depois dessa data.

Marcelo Rebelo de Sousa está a acompanhar todos os dossiês que podem afectar a relação Portugal/Angola e espera receber hoje ou amanhã informação sobre o cancelamento da transmissão da SIC pela operadora detida por Isabel dos Santos

O chefe de Estado falava aos jornalistas à margem de uma visita ao Comando Aéreo, em Lisboa.

Questionado sobre para quando é provável uma visita do Presidente da República e do primeiro-ministro a Angola, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que este é um "ano tão cheio", precisando que "temos um primeiro semestre" carregado nas agendas. "Até Setembro/Outubro está muito cheio", concretizou o chefe de Estado.

Apesar de não ter fixado uma data para a viagem, Marcelo Rebelo de Sousa acabou por sinalizar que antes de Outubro será pouco provável que isso aconteça.
  
No entanto, o chefe de Estado explicou que as marcação destas viagens devem sempre acontecer num clima de reservado.

A 24 de Abril de 2016, o Diário de Notícias avançou que mesmo que Costa decidisse ir a Angola naquele ano, Marcelo não iria já que a sua prioridade para arrancar o mandato (que tinha começado a 9 de Março) era Moçambique. Na altura, o adiamento da viagem era enquadrado com o clima de tensão entre os dois países. 

Em Fevereiro último, o Expresso avançou que a viagem de António Costa ao país liderado por José Eduardo dos Santos está em risco.

Também agora o enquadramento voltou a ser o mesmo. 
A operadora de televisão por satélite angolana Zap, da empresária Isabel dos Santos, interrompeu esta terça-feira a difusão dos canais SIC Internacional e SIC Notícias nos mercados de Angola e Moçambique, decisão à qual a SIC diz ser "alheia".

 

De acordo com a agência noticiosa AFP, a difusão dos dois canais portugueses foi suspensa, depois de recentemente terem divulgado reportagens críticas ao regime de Luanda.

 
Questionado se já tem informação sobre o que levou a operadora a cancelar a transmissão daqueles canais da SIC, Marcelo respondeu que não e disse esperar que "
entre hoje a amanhã" receba as mesmas explicações.


(Notícia actualizada às 13:15)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI