Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Marcelo deixa mais avisos sobre aumento da despesa pública

O Presidente da República não está a poupar nos avisos sobre o controlo da despesa pública. Em duas notas, Marcelo Rebelo de Sousa sublinha o perigo de não controlar as contas públicas.

Bruno Simão/Negócios
Nuno Aguiar naguiar@negocios.pt 08 de Junho de 2016 às 11:53
  • Assine já 1€/1 mês
  • 22
  • ...

Embora se tenha especulado sobre a possibilidade de Marcelo Rebelo de Sousa vetar a reposição de 35 horas na Função Pública, o Presidente decidiu promulgar o diploma. No entanto, fez um aviso sério: "Presidente da República promulga 35 horas deixando em aberto recurso ao Tribunal Constitucional em caso de aumento real de despesa."

 

Na nota pode ler-se que, uma vez que "se trata de reversão legislativa em tempo de consolidação orçamental e crescimento económico não garantidos", o Presidente refere que se levanta uma "questão politicamente mais sensível": saber se esta reversão "vai ou não aumentar a despesa pública, num contexto em que tal é negativo e mesmo arriscado".

 

Marcelo reconhece que o decreto "tenta tornear este problema", colocando controlos sobre novas despesas e diferindo a entrada em vigor do diploma em situações de maior risco de aumento da despesa. Mas "só o futuro imediato confirmará se as normas preventivas são suficientes para impedir efeitos orçamentais que urge evitar", acrescenta. Ao longo da nota, a palavra "despesa(s)" surge seis vezes. Juridicamente, argumenta Belém, "se o novo regime determinar aumento de despesas, será, eventualmente, impossível compatibilizá-lo com a proibição constitucional de tal aumento".

 

Ainda assim, o Presidente decidiu dar o "benefício da dúvida" ao Governo, ao não pedir a fiscalização preventiva da constitucionalidade do diploma. Porém, "será solicitada fiscalização sucessiva, se for evidente, na aplicação do diploma, que aquele acréscimo é uma realidade".

 

Mas não é apenas nessa nota que surgem avisos sobre contas públicas. Num outro texto mais curto colocado ontem no site da Presidência, há mais referências. O título é, desde logo, sugestivo: "Presidente da República alerta para diplomas da Assembleia da República implicando aumento de despesas, mas promulga diploma que revoga a prova de avaliação de conhecimentos e capacidades."

 

Num só parágrafo, Marcelo sublinha que "multiplicaram-se as iniciativas parlamentares susceptíveis de questionarem a proibição constitucional de aumento de despesas previstas no OE". Uma tendência para a qual "o Presidente da República chama a atenção". Ainda assim, também aqui, Belém decidiu promulgar o diploma, "porque no decreto em apreço, o aumento de despesas pode ser reportado a anos posteriores a 2016".

 

Estas são só mais algumas referências a contas públicas, depois de outras declarações no mesmo sentido na última semana. Em Berlim, Marcelo Rebelo de Sousa disse não ter dúvidas que "o controlo do défice orçamental é o caminho".

Dias antes, tinha comentado os dados de execução orçamental de Abril: "os elementos que eu vi mostram que, em termos de execução, nós temos no saldo primário uma boa notícia: o saldo primário está contido e até tem uma subida de saldo primário." "Portanto, isso não é mau. É uma evolução que é razoável", sublinhou. Na quinta-feira passada, o Presidente disse também que os orçamentos rectificativos "não são um drama", mas sim "o fruto de lucidez".

Ver comentários
Saber mais despesa contas públicas Marcelo Rebelo de Sousa Presidência Presidente da República défice
Outras Notícias