Zona Euro Mariano Rajoy assegura que haverá novo ministro da Economia “na próxima semana”

Mariano Rajoy assegura que haverá novo ministro da Economia “na próxima semana”

O chefe do Governo espanhol assinalou ainda que não haverá mais alterações na composição do Executivo, o que indica que deverá apenas proceder à substituição de Luis de Guindos, que está de partida para a vice-presidência do BCE.
Mariano Rajoy assegura que haverá novo ministro da Economia “na próxima semana”
Ana Laranjeiro 26 de fevereiro de 2018 às 15:38

O presidente do Governo espanhol revelou esta segunda-feira, 26 de Fevereiro, que vai nomear "na próxima semana" o próximo ministro da Economia. "Haverá novo ministro da Economia na próxima semana", disse citado pelo jornal CincoDías. Ainda assim, não é claro quando Guindos vai apresentar a sua demissão. Luis de Guindos prepara-se para deixar o Executivo espanhol e rumar a Frankfurt para assumir a vice-presidência do Banco Central Europeu (BCE).

O chefe do Governo de Espanha disse ainda que não pretende proceder a mais nenhuma alteração na composição do Executivo, indicando assim que não haverá remodelação governamental. "Não haverá mais mudanças no Governo porque é um Governo que foi formado há relativamente pouco tempo", acrescentou.

Entre os candidatos possíveis para substituir Luis de Guindos, de acordo com o mesmo periódico, está Cristóbal Montoro, Fernando Becker, Rosa María Sánchez-Yebra, Irene Garrido e Pablo Zalba Bidegain.

Guindos a caminho do BCE

Na semana passada, Luis de Guindos foi escolhido para ocupar o cargo de vice-presidente do BCE, substituindo o português Vitor Constância que termina o seu mandato dentro de algumas semanas.

Após a nomeação, o ainda ministro da Economia defendeu que supõe um reconhecimento para a recuperação de prestígio de Espanha na União Europeia. "Supõe um certo reconhecimento. Quando perdemos a representação, em 2012, a situação era muito diferente, a reputação de Espanha era outra. Agora, crescemos, a inflação caiu, o emprego aumentou. Creio que a Espanha, desse ponto de vista, recuperou muito prestígio nos meios comunitários e este é um posto importante. O BCE é a instituição mais importante dentro da união monetária", disse na altura Guindos, referindo-se ao facto de não haver um espanhol no conselho de administração do BCE há seis anos.

Guindos: Da liderança ibérica do Lehman até a número dois do BCE

Luís de Guindos nasceu há 58 anos em Madrid, teve várias vezes funções em governos espanhóis e desempenhou funções em multinacionais como o Lehman Brothers ou a Pricewaterhouse Coopers.

A sua passagem pelo Lehman Brothers é a que já lhe valeu mais críticas, já que presidiu as operações em Portugal e Espanha do Lehman Brothers Holdings até o colapso do banco americano, em 2008. Guindos desempenhou vários papéis no Governo liderado por José María Aznar, entre 1996 e 2002 em secretarias de Estado da área da Economia.

Antes de ter sido a escolha para ministro da Economia de Espanha, por Mariano Rajoy, Guindos era sócio da PriceswaterhouseCoopers, responsável pela unidade de serviços financeiros.

 




pub