Américas Previsões de crescimento para o Brasil diminuem

Previsões de crescimento para o Brasil diminuem

A economia brasileira vai contrair este ano cerca de 3,27% e a inflação vai atingir os 7,21%, segundo uma publicação divulgada esta segunda-feira pelo Banco central brasileiro.
Previsões de crescimento para o Brasil diminuem
Reuters
Lusa 25 de julho de 2016 às 15:51

A publicação, denominada Focus e que entrevista analistas de uma centena de instituições financeiras, considera que o produto interno bruto (PIB) do país vai ser mais baixo do que os 3,25% anteriormente previstos, enquanto a inflação - que há uma semana tinha sido prevista para os 7,26% - deverá ser mais baixa.

 

O estudo serve de referência para as projecções de crescimento do Governo brasileiro.

 

O PIB contraiu cerca de 3,80% em 2015 e o país teve uma inflação de 10,67%, sobre um tecto máximo de 6,5%, segundo dados oficiais, o que obrigou o Banco Central a aumentar as taxas de juro e mantê-las no último ano a 14,25%. 

 

Com as novas previsões, o Brasil vai entrar pelo segundo ano consecutivo em números vermelhos em matéria de crescimento. A inflação vai superar um tecto máximo de 6,5%, sobre uma meta oficial de 4,5%.

 

Para 2017, os analistas mantiveram a previsão de crescimento de 1,1%, mas reduziram a da inflação de 5,30% - calculada na semana passada - para 5,29%.

 

O mercado prevê também que a taxa básica de juro baixe até ao final do ano um ponto percentual - situando-se em 13,25% - e para 2017 calculam que será de apenas 11%. Em ambos os casos os mesmos números considerados há uma semana.

 

Em relação ao câmbio, os analistas consideram que 2016 vai terminar com o dólar a valer 3,34 reais, abaixo dos 3,39 previstos há uma semana, e para 2017 mantiveram a sua projecção de 3,5 reais por dólar.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI