Política Morreu dirigente histórico do PS Edmundo Pedro

Morreu dirigente histórico do PS Edmundo Pedro

Edmundo Pedro, militante antifascista, fundador e dirigente histórico do PS, morreu hoje, em Lisboa, aos 99 anos, disse à agência Lusa fonte do Partido Socialista.
Morreu dirigente histórico do PS Edmundo Pedro
Lusa 27 de janeiro de 2018 às 18:39

Nascido a 8 de Novembro de 1918, no Samouco, concelho de Alcochete, Setúbal, foi preso pela primeira vez aos 15 anos, por participar na organização da greve geral de 1934.

Aderiu ao PCP na década de 1930, onde conheceu Álvaro Cunhal, o líder histórico dos comunistas portugueses, e foi, com o seu pai, Gabriel, um dos primeiros presos políticos do Campo de Concentração do Tarrafal, em Cabo Verde, em 1936.

Afastou-se do PCP em 1945, e participou em vários movimentos armados, para tentar derrubar o regime.

Em 1973, foi um dos fundadores do Partido Socialista, ao lado de Mário Soares.

Após o 25 de Abril, tornou-se deputado e foi também presidente da RTP, em 1977 e 1978.

Dirigentes do PS afirmaram à Lusa que Edmundo Pedro esteve hospitalizado há cerca de duas semanas e, apesar de debilitado, mantinha-se lúcido.

A poucos meses de cumprir o 100.º aniversário, dizia, a amigos e familiares, que ambicionava fazer 100 anos, segundo testemunho à Lusa de militantes e dirigentes do PS.

Há pouco menos de um ano, numa entrevista ao jornal i, em 09 de fevereiro, Edmundo Pedro confessava que teve uma "vida fantástica", e que, se era "uma questão de gostar", gostaria de viver até aos 150 anos.

Não foi ainda anunciada a data das cerimónias fúnebres do dirigente histórico socialista.




A sua opinião10
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Zorro 28.01.2018

Honra à memória de um Homem que bem poderia dizer como Pablo Neruda :
“Confesso que vivi”,
e cuja constante na vida,
mais do que enfeudamentos a quaisquer partidos,
foi a luta pela Liberdade dos Portugueses.
Que descanse finalmente em paz lá nas “terras do sem fim”,
pois na Terra que o viu nascer e onde nunca virou a cara à luta,
(recorde-se a conspiração da Sé, que bem poderia ter antecipado o 25 de Abril de 16 anos, e que foi traída e denunciada à PIDE por alguém, que ainda hoje não se sabe quem foi; recorde-se a heróica tentativa de Beja)
na Terra que o viu nascer, pode faltar muita coisa,
mas não escasseia hoje o essencial para a Felicidade Humana :
a Liberdade.

Honra à memória de Edmundo Pedro, um Português que da Lei da Morte se Libertou

comentários mais recentes
Judas a cagar no derserto 28.01.2018

Já era tempo e, bem que podia levar com ele o Manel Alegre.

Palermoide xuxxarela 28.01.2018

Já era tempo de ir.

pertinaz 28.01.2018

VENHA O PRÓXIMO

Money Maker 28.01.2018

Não faz cá falta nenhuma.

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub