Economia Negócios nos serviços abrandam. Transportes travam

Negócios nos serviços abrandam. Transportes travam

A larga maioria das categorias de serviços viu um crescimento diminuído em Agosto, quando comparado ao mês anterior. A reparação de veículos e os negócios de transportes e armazenagem são dos que mostram maiores diferenças.
Negócios nos serviços abrandam. Transportes travam
Reuters
Ana Batalha Oliveira 11 de outubro de 2018 às 12:19

O volume de negócios nos serviços cresceu em Agosto, mas a um ritmo mais baixo que no mês anterior. O abrandamento na reparação de veículos automóveis e motociclos e dos negócios de transportes e armazenagem justificam a evolução mais modesta.

 

O volume de negócios nos serviços subiu 5,7% em Agosto, menos 0,6 pontos percentuais do que foi observado em Julho, relata o Instituto Nacional de Estatística (INE).

 

A categoria de "Comércio por grosso; reparação de veículos automóveis e motociclos" é aquela que mais pesa no índice, e uma das que regista uma desaceleração.  Cresceu 6,7% em agosto, quando em Julho tinha aumentado 7,9%.

 

O segmento de transportes e armazenagem, embora tenha menos preponderância no índice, foi o que reuniu uma maior diferença entre os resultados de Julho e Agosto. No sétimo mês de 2018 tinha crescido 5%, para no seguinte somar apenas 2,4%: desacelerou 2,6 pontos base.

 

A categoria de "Alojamento, restauração e similares", a segunda que mais contribui para o índice, contrariou a tendência, ao avançar 6,4%, que comparam com os 5,8% em Julho.  

 

À semelhança do que aconteceu com o volume de negócios, o índice de emprego também nota uma desaceleração, crescendo 1,5% em agosto que compara com 1,8% de Julho. Já ao nível das remunerações, a diferença entre estes dois meses foi maior – de 2,6 pontos base – situando-se nos 3,4% em Agosto. Também o número de horas trabalhadas vê uma diminuição substancial de 1,7% para apenas 0,7% no último mês em análise.