Segurança Social Número de desempregados com direito a subsídio diminuiu em Março

Número de desempregados com direito a subsídio diminuiu em Março

O número de beneficiários das prestações de desemprego desceu para 418.718 pessoas. Já o número de crianças e jovens que recebe abono de família subiu ligeiramente em Março.
Número de desempregados com direito a subsídio diminuiu em Março
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 22 de abril de 2013 às 17:07

O número de beneficiários das prestações de desemprego voltou a cair em Março, para cerca de 419 mil pessoas, o que significa que mais de 55% dos desempregados não recebem qualquer apoio do Estado.

 

Segundo as estatísticas hoje disponibilizadas pela Segurança Social, em Março, o número de beneficiários das prestações de desemprego desceu para 418.718 pessoas, menos 2.219 do que no mês anterior, em que se tinha registado um aumento de 3.163 pessoas face a Janeiro.

 

Os dados divulgados recentemente pelo INE contabilizavam no quarto trimestre de 2012 um total de 923.200 desempregados, fixando a taxa de desemprego nos 16,9%, face aos 15,8% observados no trimestre anterior.

 

As prestações de desemprego incluem o subsídio de desemprego, o subsídio social de desemprego inicial e subsequente bem como o prolongamento de subsídio social de desemprego.

 

Em Fevereiro, quando foram conhecidos os números mais recentes do INE, o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, afirmou que os números estavam "razoavelmente em linha" com as previsões do Governo e disse esperar uma inversão de tendência ao longo do ano.

 

Número de beneficiários de abono de família aumentou ligeiramente

 

O número de crianças e jovens que recebe abono de família subiu ligeiramente em Março, situando-se nos 1.165.758 beneficiários, mais 828 do que em Fevereiro, segundo dados do Instituto de Segurança Social hoje divulgados.

 

Comparativamente a Março de 2012, menos 28.716 crianças e jovens (2,4 por cento) receberam abono de família em Março, segundo as estatísticas publicadas no portal da Segurança Social.

 

Em Janeiro, 1.157.843 famílias beneficiaram desta prestação social, número que subiu para 1.164.930 em Fevereiro e para 1.165.758 em Março.

 

O Porto é a região do país com o maior número de abonos de família atribuídos (154.472), seguindo-se Lisboa (146.817), Braga (75.891), Setúbal (56.476) e Aveiro (54.030).

 

Do lado oposto, o centro distrital de segurança social de Bragança é onde há menos beneficiários (8.306), seguido de Portalegre (8.707) e de Beja (9.467).

 

O montante do abono família varia de acordo com a idade da criança ou jovem e com o nível de rendimentos de referência do respectivo agregado familiar.

 

O valor apurado insere-se em escalões de rendimentos estabelecidos com base no Indexante dos Apoios Sociais (IAS).




Marketing Automation certified by E-GOI