Europa O INE italiano está a medir o pulso económico através do Twitter. E os sinais são maus

O INE italiano está a medir o pulso económico através do Twitter. E os sinais são maus

O gabinete de estatísticas de Itália, o Istat, começou a medir o sentimento económico através do Twitter. Também na rede social a economia italiana está num período mau.
Tiago Varzim 22 de fevereiro de 2019 às 16:38
A monitorização de 50 mil tweets por dia está a permitir ao Instituto Nacional de Estatística de Itália (Istat) medir o pulso económico dos italianos. O índice de sentimento económico, apurado através das publicações em italiano no Twitter, é uma nova estatística que foi lançada esta semana. Os primeiros resultados não são animadores: os italianos não estão contentes com o andamento da economia, que entrou em recessão no final do ano passado.

Os resultados da estatística experimental, que deteta posts com determinadas palavras-chave, mostram que nos últimos meses de 2018 o índice registou uma queda. Este é um indicador de alta intensidade (é medido diariamente) e algo nervoso, mas a tendência apurada pelo Istat indica que em dezembro houve uma "diminuição acentuada". No gráfico é possível ver a evolução desde o início de 2016 até ao final do ano passado:
Esta deterioração do sentimento económico apurado através do Twitter vai ao encontro daquilo que aconteceu de facto na economia italiana. Itália entrou em recessão técnica no final de 2018 uma vez que o PIB contraiu em dois trimestres consecutivos. 2019 não deverá ser melhor, pelo menos segundo as previsões da Comissão Europeia que antecipam um ligeiro crescimento de 0,2%. 

Ao mesmo tempo que a economia meteu um pé no travão, Itália foi confrontada com mais despesas no serviço da dívida pública uma vez que os juros exigidos pelos investidores subiram desde que o Governo populista chegou ao poder. O conflito entre Roma e Bruxelas por causa do Orçamento do Estado para 2019 - apesar de ter sido resolvido (para já) - deixou feridas na confiança que existe na economia italiana.

"O estado de espírito que sobressaiu dos utilizadores do Twitter no país parece ser consistente, pelo menos no curto prazo, com a tendência geral da economia", sintetizou Roberto Monducci, diretor do departamento de produção estatística do Istat, citado pela Bloomberg.

Estatística experimental para medir o "estado de espírito" dos italianos 
O índice criado pelo gabinete de estatísticas italiano capta e processa tweets públicos que incluam pelo menos uma de várias palavra-chaves que foram escolhidas por especialistas na matéria.

Quanto maior for o valor do índice, melhor é o sentimento económico dos italianos. O valor resulta da soma da pontuação (positiva, negativa ou neutra) que cada tweet recebeu.

Para o Istat o facto dos cidadãos usarem cada vez mais as redes sociais para "expressarem os seus sentimentos e ideias" justificam o interesse em usá-las para "medir o estado de espírito do público em Itália". O gabinete de estatísticas tem investigado nos últimos anos de que forma pode construir estes índices não só para a economia, mas também para tópicos específicos da opinião pública.

Numa apresentação do projeto, o Istat dava como exemplo a possibilidade de vir a medir o "estado de espírito" dos italianos em relação a temas como a União Europeia, o fenómeno dos migrantes e a ameaça terrorista, temas que têm estado em cima da mesa na agenda europeia. 

A próxima atualização será feita em abril deste ano e incluirá os primeiros três meses de 2019.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI