Economia O dia num minuto: A vítima islandesa, o tabaco e os avisos de Largarde

O dia num minuto: A vítima islandesa, o tabaco e os avisos de Largarde

Por causa dos "Panama Papers" o primeiro-ministro islandês pediu a demissão. O tabaco aumenta em Julho. Ulrich pode continuar a liderar o BPI. Lagarde diz que a recuperação económica é frágil.
O dia num minuto: A vítima islandesa, o tabaco e os avisos de Largarde
Negócios 05 de abril de 2016 às 20:00

"Panama Papers" fazem a primeira vítima. O primeiro-ministro islandês, Sigmundur Gunnlaugsson, apresentou esta terça-feira, 5 de Abril, um pedido de demissão ao Presidente do país, Olafur Ragnar Grimsson, que terá agora de decidir se aceita ou não a saída do governante. Sigmundur Gunnlaugsson é assim a primeira vítima política dos "Panama Papers", um caso global de fuga ao fisco, denunciado pelo Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação. O primeiro-ministro islandês foi uma das figuras denunciadas no âmbito deste escândalo. 

Dinheiro português em "offshores" caiu 80%. Em Junho de 2015 o FMI contava 4,7 mil milhões de dólares (cerca de 4,2 mil milhões de euros ao câmbio de Junho de 2015) em territórios classificados como paraísos fiscais pelas autoridades portugueses. Trata-se de um recuo de 80% face ao máximo atingido em 2007 na base de dados do FMI que recua até 2001. Neste período o Panamá, que está no centro da polémica dos últimos dias, só teve dinheiro português em três anos (2001, 2005 e 2006) e nunca mais de 20 milhões de euros. As Ilhas Caimão continuam a ser o destino mais procurado pelo capital nacional entre os territórios "offshore" mostram ainda as estatísticas do FMI: em Junho de 2015 recebiam cerca de 77% do total de investimento avaliado em 135 mil milhões de dólares (119,6 mil milhões de euros).


Tabaco vai aumentar.
O Governo publicou uma portaria que regula a introdução da nova estampilha nos maços de tabaco. Os maços com a fiscalidade antiga podem ser comercializados até 30 de Junho, mas os preços devem subir já no final deste mês. De acordo com as simulações da PwC para o Negócios, calculadas com base na proposta do Orçamento do Estado para este ano, o preço médio do tabaco deverá subir 1,4%, ou sete cêntimos por maço. Estes cálculos foram efectuados tendo em conta um preço médio de maço de tabaco de 4,52 euros. Com a nova fiscalidade, esse preço deverá passar para 4,59 euros.

 

Ulrich pode continuar a liderar o BPI. Fernando Ulrich vai poder candidatar-se no próximo ano à liderança do BPI caso os accionistas, reunidos na assembleia-geral de 28 de Abril, aprovem a alteração de estatutos proposta pela administração, os quais actualmente estabelecem que não podem "ser designados para a comissão executiva membros do conselho de administração que, a 31 de Dezembro do ano anterior a` data da designação, tenham idade igual ou superior a 62 anos". A eliminação deste artigo dos estatutos do BPI é uma das propostas apresentadas pela administração liderada por Artur Santos Silva, para o encontro marcado para 28 de Abril, segundo comunicados à CMVM.

Lagarde avisa que a recuperação é "frágil". Christine Lagarde, directora do Fundo Monetário Internacional (FMI), alertou esta terça-feira que os riscos para a recuperação económica global estão a aumentar e urgiu os países a adoptar políticas que impulsionem o crescimento. Em Frankfurt, Christine Lagarde mostrou-se ainda preocupada com a adopção de uma postura proteccionista e nacionalista dos países face aos desafios que se colocam num mundo cada vez mais interligado. "A boa notícia é que a recuperação continua. Temos crescimento [económico]. Não estamos numa crise. A notícia menos boa é que essa recuperação continua demasiado lenta, demasiado frágil e os riscos à sua durabilidade estão a aumentar", disse Lagarde, convidada a discursar na Universidade Goethe, em Frankfurt, na Alemanha.

Resolução do Banif em 2016 teria danos imprevisíveis. A aplicação de uma medida de resolução ao Banif em 2016 - e não em 2015 como aconteceu - teria "danos de alcance imprevisível para a estabilidade financeira nacional", segundo Carlos Costa. Aos deputados, esta terça-feira 5 de Abril, o governador do Banco de Portugal sublinhou que a 1 de Janeiro de 2016 entrariam em vigor as novas regras de resolução. "Qualquer intervenção no Banif seria conduzida no quadro do mecanismo único de resolução". "Na ausência de uma solução até ao final de 2015, era provável a liquidação ou a resolução com capitalização interna extensiva, abrangendo os depósitos não garantidos pelo fundo de garantia de depósitos", continuou Carlos Costa em declarações perante a comissão de inquérito ao Banif.

Dividendo da Mota-Engil baixa. A Mota-Engil vai manter este ano, relativamente ao exercício de 2015, a política de dividendos que tem seguido de entregar aos accionistas cerca de metade dos lucros. Isto significa que o dividendo pago por acção ficará muito abaixo dos 12 cêntimos distribuídos aos accionistas no ano passado. É que em 2015 os resultados líquidos do grupo caíram 62%, de 51 para 19 milhões de euros. 




Marketing Automation certified by E-GOI