Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

OCDE antecipa "surpresas desagradáveis" este ano

"Este vai ser um ano difícil, marcado pela desaceleração do crescimento económico e por algumas surpresas desagradáveis". O secretário-geral da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE) veio ontem juntar-se às vozes mais pessimist

Elisabete Miranda elisabetemiranda@negocios.pt 06 de Março de 2008 às 00:25
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

"Este vai ser um ano difícil, marcado pela desaceleração do crescimento económico e por algumas surpresas desagradáveis". O secretário-geral da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE) veio ontem juntar-se às vozes mais pessimistas sobre o andamento da economia mundial, dizendo que os 30 países que compõem a organização, afinal, nem chegarão a crescer 2% em 2008.

Angel Gurria, representante máximo do organismo, não precisa quantas décimas vai cortar à previsão anterior, avançada em Dezembro, e que apontava para um crescimento de 2,3%. Contudo, adianta que ela ficará "abaixo dos 2%", uma situação que, a confirmar-se, colocaria a economia destes países a evoluir ao ritmo mais fraco dos últimos quatro anos.

Na entrevista que concedeu em Oslo, e citada pela agência Bloomberg, Gurria situa o epicentro do problema mundial nos Estados Unidos. E, segundo a organização sedeada em Paris, mesmo que o país não entre efectivamente em recessão (o que ocorre se houver dois trimestres consecutivos de desaceleração do crescimento), andará muito condicionado pela contracção económica - ""flirtar" com a contracção" foi a expressão usada.

Outras Notícias