Economia OCDE nomeia Santos Pereira para director departamento de estudos nacionais

OCDE nomeia Santos Pereira para director departamento de estudos nacionais

A OCDE vai ter dois novos directores no Departamento de Economia: um deles é Álvaro Santos Pereira, que toma posse a 1 de Abril. A ida do ex-ministro para este organismo já tinha sido avançada na imprensa nacional na semana passada.
OCDE nomeia Santos Pereira para director departamento de estudos nacionais
Bruno Simão/Negócios
Ana Laranjeiro 16 de janeiro de 2014 às 14:52

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) nomeou Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, para o cargo de director do departamento de estudos nacionais (em inglês Country Studies Branch), de acordo com um comunicado da organização. Santos Pereira inicia funções no próximo dia 1 de Abril.

 

Já na semana passada, o semanário “Sol” avançava que o ex-ministro da Economia ia assumir o cargo de economista número dois da OCDE. Em declarações a esta publicação, na altura, Santos Pereira, esclarecia que este cargo “é um lugar equivalente a deputy chief economist”. O antigo ministro de Passos Coelho candidatou-se a este lugar em Agosto de 2013, ou seja, poucas semanas após ter saído do Executivo. Segundo o “Sol”, após as provas de selecção, Santos Pereira ficou a conhecer os resultados do concurso no final de Dezembro.

 

Segundo o comunicado da OCDE, Santos Pereira vai apoiar o economista-chefe do organismo e “assegurar que a Organização continua na vanguarda da agenda política e económica internacional”. A seu cargo, segundo o comunicado, vai estar uma equipa com cerca de 70 elementos e a responsabilidade por cerca de 20 estudos económicos de países anualmente.

 

Além do português, a OCDE nomeou igualmente o germânico Christian Kastrop, mas para o cargo de director do departamento de estudos políticos (Director of the Policy Studies Branch, em inglês). Kastrop, doutorado em Economia, tem uma elevada experiência relacionada com questões financeiras, dado que trabalhou vários anos no ministério das Finanças da Alemanha, e vai ter como função igualmente apoiar o economista-chefe da organização. 

 

Álvaro Santos Pereira é um dos antigos ministros portugueses a ser, recentemente, nomeado para cargos fora do País. A 10 de Janeiro, foi tornado público que José Luís Arnaut tinha sido nomeado para um elevado cargo no Goldman Sachs. O ex-ministro-adjunto de Durão Barroso vai integrar o conselho consultivo internacional do banco. As funções do português passam por “fornecer conselhos estratégicos sobre uma série de negócios, regiões, políticas públicas e questões económicas, em particular sobre Portugal e os países africanos de língua portuguesa”, revela o comunicado emitido na altura.

 

Já Vítor Gaspar, segundo o semanário Expresso do último sábado, dia 11 de Janeiro, candidatou-se a um alto cargo no Fundo Monetário Internacional (FMI), visando liderar o departamento de política fiscal da instituição com sede em Washington e que integra a troika.

 

Em comum, os ex-governantes têm o facto de estarem ligados à direita, mais precisamente ao Partido Social Democrata. Ainda assim, apesar de todos terem integrado governos de coligação PSD/CDS, só Arnaut tem ligações partidárias claras aos sociais-democratas, tendo sido inclusive vice-presidente do partido.

 

(Notícia actualizada às 15h27 com mais informações)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI