Economia OMC autoriza Washington a impor tarifas até 6,87 mil milhões de euros à UE

OMC autoriza Washington a impor tarifas até 6,87 mil milhões de euros à UE

A Organização Mundial do Comércio (OMC) anunciou esta quarta-feira ter autorizado os Estados Unidos a aplicar tarifas às importações oriundas da União Europeia até um valor máximo anual de cerca de 7,5 mil milhões de dólares (6,87 mil milhões de euros).
OMC autoriza Washington a impor tarifas até 6,87 mil milhões de euros à UE
Reuters
Negócios 02 de outubro de 2019 às 15:42

A Organização Mundial do Comércio (OMC) anunciou esta quarta-feira ter autorizado os Estados Unidos a aplicar tarifas às importações oriundas da União Europeia até um valor máximo anual de 7.496.623 milhões de dólares (6,87 mil milhões de euros ao câmbio atual).

A decisão decorre da conclusão de que a fabricante aeronáutica Airbus beneficiou de ajuda pública europeia, prejudicando a rival norte-americana Boeing.

Esta quarta-feira, a Comissão Europeia indicou que pretende negociar com Washington sobre esta matéria, mas advertiu que caso os EUA avancem para a imposição de tarifas a UE irá responder na mesma moeda.

"Temos dito, consistentemente, aos Estados Unidos que estamos prontos para trabalhar com eles numa solução justa e equilibrada para as respetivas indústrias aeronáuticas. Estamos prontos e dispostos a encontrar um acordo justo, mas se os Estados Unidos decidirem impor medidas de retaliação, a UE irá fazer o mesmo", declarou a porta-voz do executivo comunitário, Mina Andreeva.

"A posição da UE sobre esta matéria é clara e coordenada com os Estados-membros: devemos evitar impor tarifas um ao outro porque isso será prejudicial às nossas economias, ao comércio mundial e ao setor aeronáutico", adiantou a responsável.

Washington já tem preparada uma lista de produtos europeus que podem ser alvo das tarifas. Esta inclui helicópteros de passageiros, vários queijos e vinhos, fatos de neve, algumas motas, azeitonas, massa, assim como alguns tipos de whiskey.

A lista foi anunciada por Trump em abril deste ano, quando o presidente dos Estados Unidos obteve indicações que a decisão da OMC iria ser favorável ao seu país.  

A queixa dos EUA junto da OMC foi apresentada há mais de uma década. Paralelamente, no final de março deste ano, a OMC concluiu que os Estados Unidos violaram regras comerciais com apoios ilegais à fabricante Boeing, prejudicando a Airbus, decisão que deu "vitória final" à UE numa disputa com 14 anos.

 

Na altura, a OMC considerou ilegal o apoio dos Estados Unidos à Boeing, violando uma decisão imposta em 2012 pelo regulador dos diferendos comerciais, a qual o país disse que iria respeitar.


(Notícia atualizada às 16:00 com mais informação)



pub

Marketing Automation certified by E-GOI