Orçamento do Estado Orçamento aprovado com votos do PS, Bloco, PCP e Verdes

Orçamento aprovado com votos do PS, Bloco, PCP e Verdes

O Orçamento do Estado para 2016 foi, como se esperava, aprovado pelo PS, Bloco, PCP e Verdes. Na votação final global, PSD e CDS-PP votaram contra e PAN absteve-se.
Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar
Miguel Baltazar - Fotografia
Negócios 16 de março de 2016 às 13:00
Como era esperado, a votação final global do Orçamento do Estado para 2016 aconteceu com a respectiva aprovação. Ao PS associou-se o Bloco de Esquerda, PCP e Verdes para fazer aprovar o documento que ficará como o Orçamento das esquerdas.

PSD e CDS-PP votaram contra. O deputado do PAN, André Silva, absteve-se. A indicação de voto já era conhecida.

Ferro Rodrigues, presidente da Assembleia da República, depois de fazer o levantamento do quórum, procedeu à votação. Momentos que dão sempre para alguma descontracção, na medida em que a contagem suscita sempre algumas dúvidas. "Já estamos acima dos limites", ironizou Ferro Rodrigues, que acabou por contabilizar os efectivos números de deputados.

"Vamos para a votação final global" do Orçamento, disse Ferro Rodrigues, dando início à votação. Quem vota contra? Quem se abstém? Quem vota a favor? São as perguntas habituais nestas votações. 

"O Orçamento do Estado foi aprovado em votação final global com os votos contra do PSD e CDS, votos a favor do PS, do Bloco de Esquerda, do PCP e PEV e a abstenção do PAN", declarou Ferro Rodrigues. Os aplausos das bancadas que o aprovaram seguiram-se.

PS pede pressa na ida do OE para Belém

 

No final da votação, o deputado do PS João Paulo Correia informou que os socialistas pedem uma redução de três para um dia do prazo de reclamação da redação final, que decorre depois de os serviços da comissão de Orçamento fixarem a redacção final da lei.

Esta redução do prazo (que serve para os deputados detectarem eventuais gralhas) é habitual, quando o Governo tem pressa de enviar a lei para Belém. O Presidente da República já anunciou que falará ao País quando decidir sobre o Orçamento.

O Negócios noticiou que a comunicação de Marcelo Rebelo de Sousa deverá acontecer antes da Páscoa, o que permitirá que o documento entre em vigor ainda antes de 1 de Abril - a data para a qual os deputados trabalharam.

O Bloco de Esquerda anunciou que vai entregar uma declaração de voto sobre o Orçamento. A mesma serve para justificar a decisão do partido no voto do Orçamento.

(notícia actualizada às 13:46 com mais informação)




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI