Economia Os oito pontos do acordo que garante o resgate de Chipre

Os oito pontos do acordo que garante o resgate de Chipre

As medidas acordadas em Bruxelas envolvem sobretudo o sector financeiro, que irá diminuir de tamanho e infligir fortes perdas aos depositantes mais abastados, accionistas e obrigacionistas.
Os oito pontos do acordo que garante o resgate de Chipre
Bloomberg
Negócios 25 de março de 2013 às 02:45

No comunicado do Eurogrupo são detalhados os oito pontos do plano das autoridades cipriotas para reestruturar o sector financeiro do país, que recebeu a “luz verde” dos ministros das Finanças, em troca de um apoio financeiro de 10 mil milhões de euros e a cedência de liquidez por parte do BCE.

 

1 - O Laiki, segundo maior banco do país, vai ser fechado imediatamente – com o contributo total dos detentores de capital, de obrigações e depósitos não garantidos (acima de 100 mil euros) – tendo em conta a decisão do banco central do Chipre, numa resolução que foi já aprovada pelos deputados.

 

2 – O Laiki será dividido num “banco bom” (com activos recuperáveis) e num “banco mau” (com activos tóxicos). Este último será encerrado ao longo do tempo.

 

3 – O “banco bom” será incorporado no Bank of Cyprus, sendo que o maior do país “ganha” também a linha de liquidez de emergência que tinha sido fornecida ao Laiki pelo BCE. Apenas os depósitos não garantidos (acima de 100 mil euros) no Bank of Cyprus vão permanecer congelados, até que a recapitalização do banco tenha sido efectuada, sendo que podem ser sujeitos a determinadas condições.

 

O comunicado do Eurogrupo não o diz, mas segundo as agências internacionais, os depósitos acima de 100 mil euros no Bank of Cyprus devem ser sujeitos a uma perda que pode chegar aos 40%.

 

4 – O Conselho de Governadores do BCE vai providenciar liquidez ao Bank of Cyprus, em linha com as regras aplicáveis.

 

5 – O Bank of Cyprus vai ser recapitalizado através de uma conversão de depósitos em capital, por parte dos depósitos não garantidos (acima de 100 mil euros) e com a contribuição total dos accionistas e obrigacionistas.

 

Quer isto dizer que os detentores de acções e obrigações do Bank of Cyprus vão perder tudo e os depositantes podem tornar-se accionistas da instituição financeira.

 

6 – A conversão dos depósitos em capital será feita de maneira a que o Bank of Cyprus atinja um rácio de capital de 9% no final do programa.

 

7 – Todos os depósitos garantidos (abaixo de 100 mil euros) serão protegidos, em linha com a legislação da União Europeia.

 

8 – O dinheiro da assistência financeira de 10 mil milhões de euros não pode ser utilizado para recapitalizar o Bank of Cyprus e o Laiki.

 

“O Eurogrupo está convencido que esta solução é a melhor para assegurar a viabilidade e estabilidade do sistema financeiro do Chipre e a sua capacidade par financiar a economia de Chipre”, refere o Eurogrupo depois de descrever os oito pontos acima descritos.    




Marketing Automation certified by E-GOI