Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Pandemia retira quase 340 milhões aos gastos com TIC em Portugal este ano

A pandemia de covid-19 poderá representar uma perda de 340 milhões de euros em gastos em Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) por parte de diversos setores de atividade portugueses, de acordo com um estudo da IDC Portugal.

Lusa 17 de Abril de 2020 às 13:27
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

A consultora, que levou a cabo mais de 500 inquéritos junto de decisores nacionais, desde o início da pandemia, acabou por rever em baixa as estimativas que tinha para os gastos com TIC das empresas portuguesas, de acordo com informação enviada à Lusa.

Assim, as estimativas da IDC apontam neste momento para um total de 8,040 mil milhões de euros em gastos de diversos setores com TIC, uma redução de 4,1% no total, ou seja, 340 milhões de euros face aos valores de 2019.

O setor do consumo é dos mais afetados, com uma previsão de investimentos de 3,091 mil milhões de euros previstos, uma quebra superior a 6%.

A indústria de produtos diferenciados (‘discrete manufacturing’) deverá gastar menos 7,2% com TIC do que no ano passado e a indústria mais indiferenciada (de produtos como sal, petróleo e outros) deverá ter menos 5,6% de custos com estas tecnologias.

Mas há setores em que a redução será menor, por exemplo, na banca, que deverá decrescer 1,9% para 775,71 milhões de euros.

Em declarações à Lusa, o presidente executivo da IDC, Gabriel Coimbra, sublinhou que a primeira conclusão destes dados é que, ainda que 4,1% seja uma quebra brutal, o setor "é menos afetado do que os restantes". A consultora partiu de estimativas de redução do Produto Interno Bruto (PIB) entre 6% e 8%.

"As TIC são hoje fundamentais para todos os processos de negócios e todos os setores. Em poucas semanas demos um salto tecnológico de dez anos, com o trabalho remoto, canais digitais e aumento do ‘e-commerce’", referiu Gabriel Coimbra, que assegurou que são fundamentais "para o funcionamento dos restantes setores, sobretudo nesta altura de confinamento".

O responsável deu ainda conta de que os setores estavam a ter comportamentos diferentes e que, por exemplo, nas telecomunicações, a descida era reduzida. Já os transportes, indústria, turismo e restauração e serviços semelhantes vão cair quase 10%, acredita Gabriel Coimbra.

A consultora estima ainda que há setores que deverão mesmo registar algum crescimento, como os serviços de ‘cloud’, importantes para quem está em teletrabalho.

A IDC estima que em 2021 os gastos com TIC registem algum crescimento, passando para 8,05 mil milhões de euros e em 2022 atinjam 8,30 mil milhões de euros.

Para realizar este estudo, a IDC Portugal consultou analistas regionais e globais e levou a cabo 500 inquéritos junto de decisores nacionais, além de dezenas de entrevistas com os principais fornecedores de tecnologia em Portugal e ‘startup’, segundo revelou a consultora.

Ver comentários
Saber mais Portugal IDC TIC
Outras Notícias