Emprego Papa considera que retirar empregos às pessoas é "pecado gravíssimo"

Papa considera que retirar empregos às pessoas é "pecado gravíssimo"

O papa Francisco disse hoje que se comete "um pecado gravíssimo" quando se "retira o emprego" às pessoas para realizar "manobras económicas ou negócios pouco claros".
Papa considera que retirar empregos às pessoas é "pecado gravíssimo"
Reuters
Lusa 15 de março de 2017 às 13:07

Francisco falava no final da sua audiência pública na praça de S. Pedro, mostrando a sua solidariedade para com uma centena de trabalhadores da televisão Sky Italia, que se encontravam no local.

 

Os trabalhadores da Sky Italia convocaram manifestações e greves perante a decisão da empresa de avançar com 200 despedimentos e de obrigar 300 trabalhadores a mudarem de Roma para Milão.

 

Na sua intervenção, saudada com uma salva de palmas pelos peregrinos presentes no Vaticano, o papa disse que "quem por manobras económicas e para fazer negócios poucos claros encerra uma fábrica ou uma sociedade empresarial e retira trabalho aos homens, comete um pecado gravíssimo".

 

"O trabalho dá-nos dignidade. Os responsáveis, os dirigentes, têm a obrigação de garantir que cada homem e mulher tenham trabalho e possam olhar nos olhos os restantes com dignidade", disse.




Marketing Automation certified by E-GOI