Américas Parlamento venezuelano tem novo presidente que não reconhece novo mandato de Nicolás Maduro

Parlamento venezuelano tem novo presidente que não reconhece novo mandato de Nicolás Maduro

O deputado Juan Guaidó, do partido opositor Vontade Popular (VP) assumiu hoje a presidência da Assembleia Nacional da Venezuela (AN), onde a oposição detém a maioria, para o período 2019-2020.
Parlamento venezuelano tem novo presidente que não reconhece novo mandato de Nicolás Maduro
Reuters
Lusa 05 de janeiro de 2019 às 19:24

No seu primeiro discurso como líder do parlamento, Juan Guaidó insistiu que a AN não reconhecerá o novo mandato de Nicolás Maduro, que começa a 10 de janeiro, alegando que as eleições antecipadas de maio de 2018 foram "irregulares", e que a partir dessa data estará a "usurpar" as funções de chefe de Estado.

"A presidência, a partir de 10 de janeiro, estará usurpada, porque estamos em ditadura, e recuperar a democracia não depende de uma lei ou de nomear alguém, depende de todos (…). Nicolás [Maduro], a 10 de janeiro, este parlamento não te ajuramentará", disse.

Guaidó, de 35 anos, sublinhou que "há que gerar condições para um governo de transição e para poder realizar eleições limpas e transparentes".

"Estamos em ditadura, sem máscaras", disse o novo presidente do parlamento, que se referiu aos venezuelanos que emigraram do país e acusou o regime de pretender "submeter o povo pelo estômago", com uma caixa de produtos alimentares subsidiados.

"Hoje, as mães venezuelanas, despedem-se dos seus filhos num terminal, num aeroporto e até num cemitério, isso não é justo para o nosso país", frisou.

A 10 de janeiro, Nicolás Maduro iniciará um novo mandato presidencial, que se prolongará até 2025.

A 21 de maio de 2018, um dia depois das últimas eleições presidenciais antecipadas na Venezuela, o parlamento denunciou os resultados, alegando irregularidades e o não respeito pelos tratados de Direitos Humanos ou pela Constituição da Venezuela.

A nova direção do parlamento venezuelano é ainda composta pelos vice-presidentes Edgar Zambrano e Stalin González, dos partidos Ação Democrática e Um Novo Tempo.

No dia de hoje, antes da sessão de posse da nova direção, os acessos ao parlamento estiveram temporariamente bloqueados, por alegadamente ter sido descoberto um engenho explosivo.

 




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI