Economia Passos Coelho diz que eventual chumbo do TC será "perturbador"

Passos Coelho diz que eventual chumbo do TC será "perturbador"

Primeiro-ministro assinala que seria imprudente garantir que não aumentará impostos e ressalva que "qualquer que seja o resultado" das eleições europeias, "o Governo não está em causa".
Passos Coelho diz que eventual chumbo do TC será "perturbador"
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios 09 de maio de 2014 às 18:19

O primeiro-ministro afirmou, em entrevista ao Expresso Diário, que um eventual chumbo do Tribunal Constitucional (TC) aos cortes previstos no Orçamento do Estado para 2014 poderá colocar em causa o fecho da 12ª avaliação e em consequência o pagamento da última tranche da troika. O "chumbo do TC será perturbador para o FMI e Portugal", refere Passos Coelho.

 

Tal como tinha já referido no debate quinzenal no Parlamento, o primeiro-ministro admite que pode ser necessário aumentar impostos. Questionado se pode garantir que não pode aumentar impostos, Passos Coelho responde que "não, com certeza que não! Seria imprudente".

 

Na entrevista que concedeu ao "Expresso" na segunda-feira o líder do PS assegurou que não

PSD não está condenado a perder as legislativas. As pessoas vão julgar o que está para a frente, não é o que está para trás.
 
Pedro Passos Coelho
Primeiro-ministro

aumentará a carga fiscal se chegar ao Governo.

 

"Se medidas importantes que permitem poupanças do lado dos salários não tiverem conformidade constitucional, novos aumentos de impostos ocorrerão", afirmou o primeiro-ministro no debate quinzenal desta manhã, depois de ter sido interpelado por Heloísa Apolónia, d’Os Verdes.

 

Se perder as europeias, o "PSD não está condenado a perder as legislativas", uma vez que "as pessoas vão julgar o que está para a frente, não é o que está para trás", defendeu Passos Coelho na mesma entrevista, salientando que "qualquer que seja o resultado" das eleições [europeias] deste mês, "o Governo não está em causa". 

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI