Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Passos diz que a quebra de rendimentos dos portugueses está a terminar – verdade?

Verdadeiro ou falso? O Negócios confronta declarações de Passos Coelho com factos.

Paulo Duarte/Negócios
Nuno Aguiar naguiar@negocios.pt 10 de Outubro de 2013 às 13:35
  • Assine já 1€/1 mês
  • 21
  • ...

21h24

A quebra de rendimentos está a cessar. Está a estabilizar. A procura interna está praticamente a estabilizar.

A declaração parece errada, mas não é claro a que indicador concreto se está a referir Pedro Passos Coelho. Se for, de facto, à quebra de rendimentos dos portugueses, dificilmente será verdade. Apesar de o Banco de Portugal concluir que quatro em cada dez trabalhadores sofreram cortes salariais entre 2011 e 2012, o FMI considera que Portugal ainda não completou o processo de ajustamento das remunerações, culpando a rigidez salarial portuguesa. Ou seja, continua e continuará a existir uma pressão dos credores para que os salários desçam em Portugal.

 

A Comissão Europeia espera que a massa salarial da economia portuguesa continue a cair no próximo ano, acentuando uma tendência iniciada em 2010. Além disso, no caso concreto de alguns grupos - funcionários públicos e reformados, por exemplo - haverá lugar a novas quebras directas dos seus rendimentos no próximo ano, provocadas por novas medidas de austeridade.

 

Por outro lado, o primeiro-ministro podia estar a fazer uma referência à evolução do consumo privado e não propriamente aos rendimentos dos portugueses. Se for esse o caso, a declaração fará mais sentido, uma vez que o Governo espera que o consumo regresse a terreno positivo em 2014, com um ligeiro crescimento de 0,1%, depois de uma quebra de 2,5% este ano.


Ver comentários
Saber mais Pedro Passos Coelho rendimentos
Mais lidas
Outras Notícias