Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Passos diz que o "vício do Estado gastar sempre o que não tem" deve acabar dentro de um ano

Lei dos compromissos e decreto de execução orçamental deverão garantir uma inversão de rumo na acumulação de dívidas a fornecedores num espaço de um ano.

Bruno Simões brunosimoes@negocios.pt 17 de Fevereiro de 2012 às 11:59
  • Partilhar artigo
  • 6
  • ...
De acordo com Passos Coelho, a “matéria mais difícil de controlar é são os atrasados no pagamento aos fornecedores. Há sectores que têm mostrado mais resiliência na normalização das dívidas. Foi isso que esteve na origem da lei dos compromissos”, salientou Passos Coelho.

“O convencimento do Governo é que, quer o novo decreto de execução orçamental, quer a nova lei dos compromissos, fomentarão uma cultura de responsabilidade que no termo de um ano terminarão com este vício do Estado gastar sempre o que não tem e depois lavar as mãos como se não houvesse responsáveis”.

Recorde-se que a lei dos compromissos prevê que a Administração Pública apenas possa fazer despesas caso tenha receitas previstas que as cubram nos três meses seguintes. Desta lei está dependente o pagamento de dívidas dos hospitais EPE. Tal como o Negócios ontem noticiou, Cavaco Silva já promulgou esta lei.

Em resposta a Nuno Magalhães, líder da bancada do CDS, Passos Coelho assegurou ainda que “o Governo está a trabalhar no aperfeiçoamento de uma comunicação transparente de todas aquelas que são as suas dívidas a fornecedores”.
Ver comentários
Saber mais Passos Coelho vício do Estado gastar
Outras Notícias