Economia Passos não antecipa decisão do TC mas fala de responsabilidade em "tempos históricos"

Passos não antecipa decisão do TC mas fala de responsabilidade em "tempos históricos"

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, não quis hoje antecipar qualquer decisão do Tribunal Constitucional sobre o Orçamento do Estado para 2013 mas sublinhou que todos têm "responsabilidade" na forma como lidam com actual "tempo histórico".
Passos não antecipa decisão do TC mas fala de responsabilidade em "tempos históricos"
Lusa 27 de março de 2013 às 19:36

Pedro Passos Coelho falava numa conferência de imprensa conjunta, no âmbito da visita oficial de dois dias a Portugal do primeiro-ministro sueco, Fredrik Reinfeldt, tendo sido questionado pelos jornalistas sobre um possível chumbo do Tribunal Constitucional ao OE2013, decisão que o primeiro-ministro não quis "antecipar", aguardando pelo acórdão.

 

"Vivemos tempos que são tempos históricos e todos temos responsabilidade na forma como lidamos com este tempo histórico", disse Passos Coelho.

 

"Tem o Governo [responsabilidade], que não se pode distrair com aspectos menores, deve focar-se no sucesso do programa de ajustamento que está a realizar; as instituições democráticas, todas, além do poder executivo; o Parlamento que tem que ter responsabilidade; o Tribunal Constitucional que tem também que ter responsabilidade nas decisões que vier a tomar e no impacto que elas possam ter no país", observou.

 

Questionado sobre o facto de vozes do CDS-PP pedirem a remodelação do Governo, o primeiro-ministro foi peremptório: "essa é, como sabem, uma reserva do primeiro-ministro e o primeiro-ministro nunca poderá, ou nunca deverá, fazer considerações públicas sobre quaisquer intenções que tenha ou não tenha em matéria de remodelação portanto é a pergunta que nunca tem resposta".

 

Sobre a moção de censura do PS - que quinta-feira será entregue e dia 3 de Abril será discutida no Parlamento - Passos Coelho não quis "acrescentar mais do que já" tinha referido.

 

"Estarei na discussão da moção de censura na próxima semana. É uma matéria que, em instituições democráticas, não deve ter qualquer surpresa. Marca uma posição do PS relativamente ao Governo e iremos discutir essa moção de censura no Parlamento", disse apenas.

 

Sobre a entrevista de hoje à RTP do seu antecessor, José Sócrates, a resposta foi directa: "fez-me também uma pergunta sobre televisão. Não vou responder. Não leve a mal, por mais curiosidade que possa suscitar esta ou outra entrevista não vou fazer qualquer comentário acerca da questão que me pôs".




pub

Marketing Automation certified by E-GOI