Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

PIB da Zona Euro terá contraído 0,1% no segundo trimestre

A economia dos doze países do euro contraiu 0,1% no segundo trimestre, irá certamente revelar a revisão do PIB da Zona Euro, depois de actualizada com os dados de França, disse hoje à Bloomberg uma fonte do Eurostat não identificada.

Negócios negocios@negocios.pt 20 de Agosto de 2003 às 12:05
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A economia dos doze países do euro contraiu 0,1% no segundo trimestre, irá certamente revelar a revisão do Produto Interno Bruto (PIB) da Zona Euro, depois de actualizada com os dados de França, disse hoje à Bloomberg uma fonte do Eurostat não identificada.

A economia francesa, a terceira maior da Zona Euro, contraiu 0,3% no segundo trimestre, anunciou o instituto francês de estatística.

Este resultado irá provavelmente atirar a economia dos doze para a contracção, afirmou a fonte do Eurostat. A próxima estimativa de crescimento da Zona Euro será publicada no próximo dia 9 de Setembro.

A Alemanha, Itália, Holanda e Portugal encontram-se em contracção. Para estimular a economia, o Banco Central Europeu (BCE) baixou as taxas de juros três vezes nos últimos oito meses para os 2% e prevê uma recuperação «gradual» no segundo semestre.

O departamento europeu de estatística divulgou no dia 14 deste mês em que afirmava que a economia europeia teria provavelmente estagnado no segundo trimestre, com base nos dados negativos do PIB alemão, italiano e holandês e da produção industrial e vendas a retalho em França e em Espanha.

A revisão do crescimento europeu, que será também condicionada pelos dados do PIB espanhol a serem divulgados no próximo dia 2 de Setembro, será feita em linha com as normais margens de erro, indicou a mesma fonte.

A estimativa do Eurostat de 14 de Agosto previa que a economia do Doze estivesse estado no segundo trimestre entre o crescimento zero e uma contracção de 0,04%, indicou.

Nos últimos dez trimestres, a primeira estimativa do Eurostat indicou correctamente a taxa de crescimento por sete vezes e divergiu com margem de erro de 0,1% por três vezes.

Outras Notícias