Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

PIB português cresceu 1,3% em 2006 (act)

O produto interno bruto português (PIB) registou um crescimento de 1,3% em 2006, o ritmo mais acelerado desde 2004, ano em que se realizou em Portugal o campeonato europeu de futebol. As exportações, com uma subida de 8,8%, foram as que mais contribuíram

Susana Domingos sdomingos@negocios.pt 09 de Março de 2007 às 15:40
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O produto interno bruto português (PIB) registou um crescimento de 1,3% em 2006, o ritmo mais acelerado desde 2004, ano em que se realizou em Portugal o campeonato europeu de futebol. As exportações, com uma subida de 8,8%, foram as que mais contribuíram para o crescimento económico, revelou hoje o Instituto Nacional de Estatística.

O crescimento económico foi o mais robusto desde 2004 – no ano do Euro 2004 a economia também cresceu 1,3% - e compara com o crescimento de apenas 0,5% registado em 2005.

A exportação de bens e serviços atingiu os 8,8% em volume no ano passado, tendo sido a variável que mais contribuiu para a melhoria das contas nacionais. Em 2005, as exportações cresceram apenas 1,1%.

A procura externa líquida contribuiu para o aumento de um ponto percentual do PIB no ano passado, quando no ano anterior, o contributo líquido negativo em 0,5% tinha ajudado à desaceleração do PIB. O aumento de 4,3% das importações em 2006, acabou por limitar o contributo da procura externa para o PIB.

A procura interna registou uma desaceleração ao crescer 0,2% em termos reais, contra 0,9% um ano antes. O abrandamento resultou de uma desaceleração das despesas de consumo final das famílias residentes e das administrações públicas, que registaram uma queda de 03% em volume, de acordo com os dados do INE.

Quarto trimestre de 2006 com crescimento mais robusto desde o Euro’2004

O crescimento real do PIB português acelerou 1,7% no quarto trimestre do ano passado, face ao período homólogo de 2005, tendo registado o ritmo mais elevado desde a realização do Euro’2004, no segundo trimestre de 2004.

O contributo da procura externa líquida para o crescimento do PIB intensificou-se face ao terceiro trimestre, com um aumento mais robusto das exportações (que cresceu 10,7% nos últimos três meses do ano) e uma diminuição das importações, que abrandaram para 4,7% (quando no terceiro trimestre estavam a crescer ao ritmo de 5,3%.

A procura interna líquida esteve praticamente estagnada, com um crescimento de 0,1% nos últimos três meses do ano, contra os 0,7% registados no terceiro trimestre.

Outras Notícias