Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Pires de Lima diz que a Irlanda traduz “a ambição portuguesa”

O ministro da Economia frisou que Portugal vai “esperar para ver” o que vai acontecer com o regresso da Irlanda aos mercados de dívida. Pires de Lima mostrou-se esperançado em ter “fortes sinais” de recuperação económica, que permitam atrair investimentos e regressar aos mercados em Junho, reforçando que um programa cautelar “tem de continuar em cima da mesa”.

David Santiago dsantiago@negocios.pt 21 de Outubro de 2013 às 20:36
  • Assine já 1€/1 mês
  • 24
  • ...

Depois de esta manhã ter admitido “começar a negociar um programa cautelar nos primeiros meses de 2014”, Pires de Lima, ministro da Economia, quando o dia se aproximava do final, preferiu dizer que Portugal “vai esperar para ver” como se vai processar o regresso da Irlanda aos mercados de dívida, antes de ser tomada qualquer decisão relativamente à saída portuguesa do programa da troika.

 

O ministro português recuou face às declarações inicias, limitando-se a garantir que um programa cautelar “tem de continuar em cima da mesa”. Em declarações ao canal de televisão da Bloomberg, Pires de Lima, que se encontra em Londres onde participou, esta segunda-feira, numa mesa redonda com jornalistas, aludiu à Irlanda “como um bom exemplo daquilo que é a ambição portuguesa”.

 

O dirigente centrista disse esperar “fortes sinais” de recuperação que possibilitem atrair investimento e regressar aos mercados em Junho. “Todos os indicadores são bastante positivos e eu acredito sinceramente que já saímos da recessão e estamos no caminho certo para atingir um pequeno crescimento em 2014”, acrescentou o ministro.

 

Pires de Lima revelou que pretende “retirar lições” da privatização dos correios britânicos, em referência à projectada privatização dos CTT. Ainda no plano das privatizações, o ministro mostrou maior prudência relativamente à questão da TAP. “Com a TAP teremos de ser mais prudentes”, tendo depois avisado que apesar de a venda estar “prevista para 2014, não me atrevo a avançar com nenhum tipo de calendarização para a privatização”, finalizou.

 

Ver comentários
Saber mais Pires de Lima Portugal Bloomberg
Outras Notícias